Este título poderá suscitar bastantes dúvidas e até alguma controvérsia. Um destes dias no Jornal da Noite da TVI um psicólogo a comentar os sucessivos maus tratos a crianças estabeleceu uma distinção clara entre progenitores e pais. Este aspeto imediatamente despertou a minha atenção e a de José Alberto Carvalho (pivot da TVI).

Afetos, cuidado e amor…

A sensibilidade do assunto pressupõe ponderação e cuidado na sua abordagem, mas não posso estar mais de acordo com a distinção clara entre progenitores e pais - progenitores são uma inevitabilidade da genética e do destino, enquanto os pais assentam numa relação de afetos, cuidado e amor.

Publicidade
Publicidade

Felizmente há muitos progenitores que são pais e esses devem ser tidos como exemplo e têm de ser devidamente apoiados, porque uma #Família que cultiva a felicidade e respeito entre todos os seus membros, para além do bem-estar que promovem entre si, são um foco de estabilidade para a própria sociedade.

A frivolidade da noite ganha ao recato da família

Contudo, existe um conjunto de progenitores que se recusam a assumir o papel de pais e são incapazes de respeitar, proteger e valorizar a vida que criaram. Para com estes, a sociedade e a justiça deveriam ter uma postura implacável, porque aí reside um dos males da nossa sociedade e infelizmente com tendência crescente. A falta de amor, carinho e de atenção por parte dos progenitores, faz com que as crianças vivam cada vez mais sozinhas e a sofrer em silêncio.

Publicidade

Igualmente grave é a passividade com que aceitamos e assistimos à destruição sucessiva das vidas mais jovens.

Quem dá prevalência aos interesses profissionais, dá preferência à frivolidade da noite relativamente ao recato da sua família deveria analisar e encontrar um novo rumo, uma vez que com essas posturas apenas provocam angústia e mágoa nos seus filhos, fazendo-os crescer num ambiente de rejeição e sofrimento. Neste tempo de Natal, em que as campanhas de solidariedade se multiplicam e difundem, seria crucial as famílias fazerem uma introspeção e analisarem com que cuidado e amor têm tratado das suas crianças. Não é necessário gastarem dinheiro, basta pensarem e refletirem em silêncio.