Nos tempos que correm e com a sombra da crise no ar há já uns anos, o segredo do negócio são as promoções. Para qualquer lado que vamos é possível ver cartazes com promoções. E todos nós temos a tendência em nos socorrermos destas campanhas, com o intuito de minimizar as despesas e poupar algum dinheiro. Mas serão as promoções assim tão benévolas?

Do ponto de vista do consumidor, as promoções são oportunidades únicas de poupar dinheiro e ao mesmo tempo consumir alguns artigos que são mais dispendiosos. No entanto, do meu ponto de vista é tudo uma campanha de marketing para incentivar ao consumismo desmesurado. Em todas as compras que fazemos cerca de 30% das compras são de artigos sem promoção, o que leva a um aumento de venda, e na maioria dos casos, estes 30% compensam as promoções realizadas pelo vendedor.

Publicidade
Publicidade

Hoje em dia as pessoas já não conseguem ir às compras sem levar o boletim das promoções. Em muitos dos casos vamos fazer umas compras de última hora e pensamos: "Já que estou aqui, vou ver o que há em promoção", levando à realização de compras de mais um ou dois artigos. Se pensarmos bem, passamos o mês a consumir promoção e a poupança que temos é a mesma. Então para onde foi o dinheiro? Muitas vezes compramos coisas que não necessitamos ou então não nos fazem falta.

Como é possível fazer promoções por vezes de percentagem tão elevadas? Chegando muitas vezes a ser de 20%, 30% e até de 50%! Sabemos que é proibido fazer vendas abaixo do preço de custo. Isto quer dizer que existem muitos artigos com uma margem de lucro muito elevada, muitos vezes a rondar os 100%, criando um fluxo financeiro de sentido único onde os produtores e consumidores são explorados.

Publicidade

Considero este tipo de acções um autêntico roubo, um roubo à mão desarmada, sem medida nem respeito por ninguém onde apenas interessa o rendimento, onde o marketing e as campanhas de sensibilização condicionam o nosso modo de pensar, criando uma sensação de bem-estar e de que estamos a ser beneficiados.

Existe uma frase muito utilizada principalmente em campanhas relacionadas com saúde: "você é o que você come", hoje em dia já não é assim.