Nas eleições legislativas da Grécia venceu o Syriza comandado por Alexis Tsipras, que já tomou posse nesta segunda-feira e com um compromisso de coligação feito com a extrema-direita daquele país - os Nacionalistas Gregos Independentes. Que também estão contra o pagamento da dívida.

Esta vitória é um bom sinal e é um exemplo que os portugueses deviam olhar com atenção. Porquê? Porque o povo grego foi encostado à parede e viu que que as habituais opções não iriam mudar nada, daí terem optado pela mudança. E que seja uma mudança positiva para aquele país e para aquele povo, que bem merece. Todavia, há que dizer que Portugal podia muito bem fazer o mesmo e deixar de ser o povo manso que todos nós conhecemos e que é gozado e roubado por tudo e por todos. Chega da prática da política do deixar andar. Quero e desejo prosperidade para o nosso país, quero ver toda a gente a trabalhar e com ordenados dignos, com um sistema educacional e de saúde bom em todo o país, e não só nas grandes cidades. Quero cultura acessível a todos, entre outras coisas. É bom que se comece a falar na regionalização, porque está aqui a chave para o desenvolvimento do país. Porém, será um projecto que deve ser elaborado para estar completamente instalado daqui a uma década, porque é uma medida que muda radicalmente tudo.

Ainda sobre este assunto das eleições gregas, a cobertura televisiva da RTP foi uma vergonha. O jornalista José Rodrigues dos Santos, alguém por quem eu tenho uma estima enorme e que é provavelmente umas das referências do nosso país em termos jornalísticos, fez um trabalho que manchou, a meu ver, o seu brilhante currículo, onde se destacam passagens pela BBC e na CNN. A reportagem sobre a corrupção na Grécia e o retrato que mostrou da realidade grega não apagam todo um passado brilhante de JRS, mas mancham. Mas todos nós temos dias maus e se calhar foi um dia assim para o pivot do Telejornal da RTP1.

Para finalizar, este domingo ficou marcado por uma romaria a Évora. Não estou a falar do programa da TVI, "Somos Portugal", nem do Portugal em Festa da SIC, nem tão pouco do Aqui Portugal da já citada RTP. Estou a falar nas mais 100 pessoas que foram fazer uma peregrinação em camionetas como sinal de apoio ao ex-primeiro-ministro português, José Sócrates.

Vi imagens, vi reportagens, ouvi e achei de uma tremenda falta de amor próprio o que estas pessoas demonstraram. Depois do prejuízo incalculável que José Sócrates causou ao país e dos alegados malabarismos e lavagem de dinheiro, não era certamente isto que eu estaria à espera.

Eu pergunto-me, o que tem o Zé de tão especial? Será por ter ganho o prémio homem sexy platina do Correio da Manhã? Será do swag? Do charme à Jorge Clooney? Não sei. O que sei é que é as pessoas pagaram 12 euros para ir da Covilhã até à cadeia de Évora para participarem numa acção de solidariedade com o antigo PM de Portugal. Recordo que José Sócrates está indiciado por fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais e está em prisão preventiva há mais de dois meses.

Esta concentração teve o seu início por volta das 15h00. Durante esta concentração muito se ouviu "Sócrates amigo, a Covilhã está contigo" e ainda o "Grândola, Vila Morena", entre cravos e rosas que foram depositados no muro da prisão.

É triste ver pessoas que se prestam a isto e que gostam de dar um espectáculo degradante. Depois queixem-se que o país está na mesma e que votam no mesmo. A juntar a isto temos uma boa fatia dos jovens portugueses que não se preocupa com nada e está nas "tintas" para o futuro do país. Juntamos desinteresse ao analfabetismo e, se somarmos ainda altas taxas de desemprego e o baixo índice de natalidade… estamos bonitos, estamos. Enfim… viva Portugal!