Fontes de informação especializadas em #Turismo revelam, através de um estudo feito por uma empresa de recrutamento e selecção, que cerca de 74% dos profissionais da indústria turística tencionam mudar de área profissional durante este ano de 2015. Apesar de ter sido anunciado que esta será a indústria que mais profissionais irá recrutar, os profissionais do sector estão insatisfeitos com as condições laborais a que se submetem. Muitos não recebem aumento salarial há alguns anos, outros notam que profissionais de outras áreas ocupam cargos hierárquicos superiores.

Na minha opinião, isto está realmente a acontecer e cada vez mais vemos pessoas sem qualquer formação na área do turismo a ocuparem cargos superiores, enquanto nós, profissionais especializados, ficamos numa empresa com o ordenado mínimo, muitas vezes a recibos verdes.

Publicidade
Publicidade

Se esta é a indústria que mais prémios tem trazido a Portugal nos últimos tempos, não deveríamos pensar um pouco mais no que está a acontecer? Ou será que o caminho que estamos a seguir é o correcto? Na minha opinião não! Não é o caminho que devemos seguir, mas também é sabido que, quanto mais galardoados somos, menor é o nosso desempenho. Infelizmente é assim que muitas pessoas e empresas pensam.

Assim sendo, de que serve Óbidos ser umas das vilas mais maravilhosas do mundo, Portugal ser considerado um dos melhores destinos de golfe do mundo, o Alentejo ser considerada uma das zonas a visitar em 2015, para não falar do Fado, da Gastronomia e, mais recentemente, do Cante Alentejano? São prémios que nos orgulham de sermos portugueses, mas os senhores que mais podem fazer pelo país e para que o mesmo não perca estes títulos estão sentados a "inventar".

Publicidade

O ano inicia-se agora e em breve estamos na época alta para o turismo em Portugal. Vamos ver o que nos aguarda este ano. Surpresas? Esperemos que boas e que realmente comecemos a trabalhar no sentido de criar cada vez mais um produto turístico sustentável, de excelência e que nos orgulhe internacionalmente. Vamos, todos juntos, trabalhar nesse sentido? Pois tudo depende de nós (profissionais qualificados)!