O jornal britânico The Independent distinguiu dez jovens personalidades em diversas áreas, entre as quais a dança, a televisão, a literatura ou a rádio, às quais devemos estar atentos em 2015. Entre elas encontramos o nosso bailarino Marcelino Sambé ao mesmo nível de Maisie Williams, protagonista de Guerra dos Tronos, da escritora Eliza Robertson, do director de opera Max Hoehn ou da artiata Elektra KB. Marcelino Sambé é filho de mãe portuguesa e pai guineense. Nasceu a 29 de Abril de 1994 em Lisboa, no dia Mundial da Dança (presságio ou não) e começou a dançar com cerca de seis anos num centro comunitário perto de Lisboa. Também esteve ligado a um grupo de danças africanas, até dar nas vistas num centro comunitário próximo da sua casa.

Publicidade
Publicidade

Aconselhado pela psicóloga, concorreu às audições e aos nove anos entrou para o Conservatório. Estudou ainda na The Royal Ballet Upper School. O fato de ser português e este ser texto numa coluna de opinião do Blasting News permite enaltecer as qualidades e as origens nacionais caso contrário seria imparcial e isento na elaboração de uma notícia, conforme a profissão assim o obriga.

Marcelino Sambé participou em espetáculos como “Yondering”, de John Neumeier, e “Simple Symphony”, de Alastair Marriott”, entre outras atuações. Com apenas 13 anos já ganhava vários prémios, como a medalha de prata no Concurso Internacional de Ballet de Moscovo, em 2008, o primeiro prémio no Youth American Grand Prix, em 2009, e a medalha de ouro e um prémio especial no Concurso Internacional de Ballet dos EUA, em 2010.

Publicidade

Quantas pessoas com um percurso deste tipo chegariam ao reconhecimento estes anos todos após o seu início.

Entrou na companhia britânica, Royal Ballet de Londres, em 2012, onde permanece há três anos, sendo considerado como primeiro bailarino em 2014. Aos 20 anos, este artista prende a atenção de qualquer espectador com a sua energia, técnica e presença, sendo cativante vê-lo em qualquer tipo de papel. Agora, quando olharmos para o mundo da dança, vamos sempre perguntarmo-nos por este jovem promissor coreógrafo, que, selecionado pela Youth Dance England, foi mostrar trabalhos para o programa Draft Works do "Royal Ballet". #Música