O ano de 2014 acabou de terminar. Este foi um ano quase a "ferro e fogo" para muitos portugueses. O #Governo deixou passar o Natal, para logo depois, no dia 26 de Dezembro, anunciar o aumento da idade da reforma. Em 2014 assistimos a um aumento de impostos e à estagnação dos salários. Sentimos o custo de vida a aumentar e os nossos bolsos a esvaziar. Percebemos que de uma taxa pode sempre nascer uma sobretaxa. Vai daí que o nosso querido Governo não ia deixar passar o Natal de 2014 em branco. Logo num ano tão rico em aumentos, em que era de prever que não ia terminar o ano sem se conhecer mais um.

O governo resolveu presentear todos aqueles que trabalham com mais uma "boa notícia": o aumento da idade da reforma para os 66 anos.

Publicidade
Publicidade

E isto vai acontecer quando? É já oficial que a idade da reforma vai subir para os 66 anos e dois meses em 2016. Isto de acordo com uma portaria publicada dia 26 de Dezembro, sexta-feira, em "Diário da República".

Resumindo, é necessário trabalhar mais 60 dias para que seja possível ter direito à pensão sem sofrer nenhum tipo de redução. Este aumento parece que passa a ser progressivo e o cálculo é feito de acordo com o Factor de Sustentabilidade, que reflecte não só a evolução demográfica, como a esperança média de vida. É caso para se dizer: todos os anos vamos assistir a este tipo de aumento? Recebemos a mesma notícia para o ano de 2014, em que só era possível a reforma sem penalizações após os 66 anos. Agora são necessários mais 2 meses…

Os trabalhadores que estão actualmente no activo devem estar a questionar-se sobre: até que idade é possível aumentar? Pois, dada a postura deste Governo, tudo é possível, provável e bastante incerto! E de incertezas será feito o valor da sua reforma.

Publicidade

Pois tudo depende do número de anos de descontos acumulados e da evolução do Factor de Sustentabilidade das Pensões que é divulgado anualmente. Portanto, uma incógnita.

Quando se reformar quanto vai receber? Incógnito! Até que idade vai trabalhar para ter direito à totalidade da sua reforma (da qual não sabe o valor!)? Incógnito! De incógnito em incógnito vamos vendo e tentando viver!