Depois de verificarmos os anos de 1959 a 1964 nos trouxeram grandes obras no que ao rock'n'roll e blues diz respeito, o ano seguinte não foi excepção. Alguns dos clássicos tornaram-se essenciais ainda nos dias de hoje. O rock'n'roll começava a transformar-se lentamente no rock, com a world music e o folk a invadirem a cultura popular e a lançar ainda mais sementes para o que seria feito mais tarde nos campos da #Música pesada. Passemos à lista de álbuns intemporais lançados em 1965:

10 - John Fahey - The Dance Of Death & Other Plantation Favorites - John Fahey é a prova de que injustiças são uma constante no mundo da música. O compositor e instrumentalista norte-americano passou grande parte da sua carreira praticamente desconhecido do grande público, gravando e fundindo muitas influências do folk norte e afro-americano, anglo-saxónico, português, brasileiro e indiano. Este álbum em específico é o seu terceiro trabalho e um dos seus melhores.

9 - The Wailing Wailers - The Wailing Wailers - Álbum de estreia de uma lenda musical que viria marcar todo o mundo, quer se goste ou não. Um trio onde podíamos encontrar um Robert Marley e um Peter "Tosh". Foi neste álbum que se ouviu uma versão embrionária do clássico imortal "One Love" e do género músical reggae. 


8 - Bob Dylan - Bring It All Back Home - O álbum revolucionário de Bob Dylan que viria a alienar muitos dos seus fãs pelo simples facto de Dylan ter começado a usar guitarra eléctrica. Esse facto viria a ser agravado pela polémia de Newport, um importante festival de folk, onde supostamente Dylan ia tocar um set acústico e acabou por electrizar metade da audiência e electrocutar a outra metade. 


7- Fats Domino - In Concert - Apesar de pertencer ao período em que este músico já tinha sido completamente ultrapassado pela chamada invasão britânica, é um dos bons exemplos em como o seu talento era superior a qualquer moda e sem dúvida imortal. 


6- Ravi Shankar - Sound Of The Sitar - Já falámos anteriormente deste mestre da música clássica indiana e este "Sound Of The Sitar" é indispensável para quem delira com o som da cítara.

5- The Who - My Generation - Álbum de estreia de (mais) uma das grandes bandas rock saídas das ilhas britânicas. O tema título é um clássico intemporal, símbolo de uma revolta geracional normalmente associada à década de sessenta.

4 - Bob Dylan - Highway 61 Revisited - Segundo álbum de Dylan lançado em 1965, segundo clássico. "Like A Rolling Stone" é um tema impossível de não conhecer, mesmo nos dias de hoje.

3 - Tages - Tages - Uma pérola da música sueca que apesar de ser cantada na sua língua natal conseguiu ganhar reconhecimento fora das suas fronteiras, embora isso não se tenha traduzido em vendas no resto da Europa ou E.U.A.. É também a prova que esta coisa do progressivo e do psicadelismo sueco não é de agora.

2- Beatles - Help! - Os The Beatles são um fenómeno mundial e este álbum serviu de banda sonora a um filme com o mesmo nome. A banda afasta-se ligeiramente da música do Yé-Yé e tem aqui alguns dos seus clássicos intemporais, tal como a faixa título, "Ticket To Ride" e a música que mais versões tem em todo o mundo, "Yesterday"

1- B.B. King - Live At The Regal - Simplesmente, um dos grandes álbuns de blues alguma vez gravado, clássico intemporal. Indispensável em qualquer audioteca.