A recente transferência de Bernardo Silva para o Mónaco, a título definitivo, fez soar o alarme e reacender a discussão entre os benfiquistas sobre a dicotomia existente no clube da Luz entre as promessas feitas por Luís Filipe Vieira no início da época e a política seguida no terreno.

Se de um lado, o presidente encarnado perspectiva um #Benfica cada vez mais português e formado no Seixal, do outro ouvimos Jorge Jesus afirmar que a academia serve para tirar proveito financeiro. De facto, a teoria do treinador parece mais sincera e realista relativamente ao que temos visto acontecer nos últimos anos. Depois da ida de André Gomes para o Valência no verão passado, Bernardo Silva e João Cancelo foram vendidos no mês de Janeiro, sem que tenham tido a oportunidade de demonstrar na Luz o valor que todos auguravam aos jovens formados no Seixal.

Publicidade
Publicidade

Mas o que à primeira vista pode parecer uma divergência de ideias para o futuro entre Jesus e Vieira, na minha opinião mais não é do que uma estratégia de comunicação diferente para fora e para dentro do clube. Pois, de facto, ambos comungam da mesma filosofia e estão juntos nas tomadas de decisão que têm afastado as jovens promessas benfiquistas de cumprirem o seu sonho de chegar à equipa principal.

A liderança do Benfica no campeonato tem, provavelmente, atirado para segundo plano as promessas falhadas de Luís Filipe Vieira, mas é notória a desilusão dos adeptos mais atentos perante o sucesso que jogadores como André Gomes e Bernardo Silva têm tido em ligas mais fortes do que a portuguesa, depois do clube que os formou não lhes ter dado as oportunidades que dá a estrangeiros de valor questionável e sem provas dadas.

Publicidade

Por que razão Jorge Jesus não tentou fazer de Bernardo Silva o novo Enzo, como fez com Talisca, mudando também a sua forma de jogar? Seria o brasileiro Luís Felipe, contratado no último verão para defesa direito, superior a João Cancelo? Certamente todos deverão concordar que não é. No entanto, teve mais oportunidades para se afirmar no plantel do que o português. Estas são algumas das perguntas que os benfiquistas fazem, mas as palavras recentes de Jorge Jesus são a única explicação dada até ao momento: "O Seixal é para trazer proveito financeiro ao clube". #Futebol