Este é um dos clichés mais comuns da ficção: os personagens de um qualquer programa de televisão ou de um qualquer filme deixam sempre a porta de casa aberta. Sendo que vivemos num mundo com relativa taxa de criminalidade, parece-me inverosímil que as pessoas saiam de casa sem fechar a porta. Mesmo em ficção, género que tem a liberdade de não ser completamente fiel à realidade. Sempre que num filme ou num episódio de uma série, os amigos, vizinhos ou simplesmente o homem do gás abrem a porta de casa de um dos personagens - sem a ajuda de uma chave, cartão de crédito ou um pé de cabra -, pondero. Serão estes personagens tão crédulos que negam a existência do crime (como muitos negam a existência de Deus)? Ou será uma falha de factualidade?

Nalguns casos é possível acreditar que se deva à ingenuidade do personagem.

Publicidade
Publicidade

Na série "How I Met Your Mother", quando Ted abre a porta do seu apartamento sem recurso a nada, sou capaz de crer que o mesmo tem a crença de que em Nova Iorque o crime não existe. Afinal de contas, estou a falar do mesmo personagem que ficou nove temporadas à espera da sua alma gémea.

Mas quando numa série como "Sex and the City" (e perdoem-me esta viagem a um passado deveras longínquo, mas há memórias que ficam para sempre) as portas estão continuamente disponíveis, questiono. E nunca deixo de me aperceber imediatamente de que estou a ver um produto de ficção, assim que a prática acontece. Ficção, género que se considera falhar quando o espectador sai dessa realidade ficcionada para perceber que está apenas na sua sala de estar a ver televisão.

Em Portugal, as falhas da ficção nacional são em tão maior número que esta até escapa - o que não abona muito a nosso favor.

Publicidade

Mas em qualquer telenovela da TVI podemos encontrar facilmente esta quebra de fantasia - e se não conheço a 100% a realidade de outros países, conseguindo até acreditar que em certos bairros familiares as pessoas são realmente crédulas por isso mesmo, nós (bons lusos) - pelo contrário - optamos sempre pelo pior cenário. Razão pela qual é absurdo que a mansão da família Oliveira e Castro de Vasconcelos e Silva, de Beirais da Junta (cujo núcleo é constituído por variados segredos descobertos perigosamente com o desenrolar do enredo) tenha sempre a porta aberta.

Por fim, coloca-se a pergunta: se as portas estão sempre desimpedidas, porque é que estes personagens continuam a ter chaves? Que por norma são mencionadas e mostradas pela câmara como se de maior importância fossem.

E sei que a prática é mantida por questões técnicas e até válidas: "Seinfeld" não seria a mesma série sem as célebres entradas cómicas de Kramer em casa de Jerry. E as referidas entradas não aconteceriam da mesma forma fluida se houvesse uma chave na fechadura envolvida. Mas bolas, como mesmo assim este pequeno grande pormenor pode estragar para mim, por completo, todo um óptimo produto de ficção - até "Seinfeld". #Filmes #Séries