Segundo uma pesquisa no Reino Unido, 62% das mulheres e 48% dos homens interrompem o sexo para verificar os aparelhos. Os #Smartphones são agora os responsáveis pela interrupção do acto sexual. Cerca de 30% das pessoas responderam que param o acto sexual para atender telefonemas, enquanto 20% dizem ler e responder a mensagens. Segundo a gíria comum, a causa da baixa taxa de natalidade é imputada ao surgimento da televisão, não sendo todavia um dado comprovado mas que tem a sua lógica. Com o surgimento dos smartphones, e segundo este estudo, a tendência da taxa de natalidade é de continuar a diminuir.

Já é comum vermos casais de namorados sentados lado a lado, distraindo-se com os seus smartphones, assim como muitos adolescentes passando horas infinitas distraídos com estes aparelhos.

Publicidade
Publicidade

Este estudo mostra apenas aqueles que interrompem o acto, no entanto é possível a existência de uma percentagem elevada de casais que diminuíram drasticamente a sua vida sexual ou até mesmo prescindiram do acto sexual, trocando-o pela utilização dos smartphones. Um outro estudo revelou que cerca de 20% das pessoas, que possuem smartphones, utilizam-nos durante o sexo.

Já existem diversos estudos relativos à utilização dos smartphones em excesso. Na vida conjugal começa a ser comum o isolamento dos membros dos casais e consequentes separações e divórcios. O aparelho que surgiu para facilitar as comunicações e interacções entre pessoas realmente demonstra-se eficaz no que a isso diz respeito a longas distâncias, permitindo o contacto com amigos e colegas que possivelmente de outra forma não seria possível.

Publicidade

Mas começa também a destruir as relações de proximidade e intimidade física pessoal.

É necessário mudar o rumo deste tipo de tecnologias, de modo a que o benefício compense o que de mal está a ocorrer. Os smartphones possuem uma tecnologia fantástica e possivelmente, num futuro próximo, surgirão formas de direccionar a utilização dos mesmos no sentido de minimizar as contrapartidas que têm surgido com a sua utilização abusiva. #Entretenimento