Mais uma semana de #Música indie, depois da curta viagem por nomes como Tame Impala ou Franz Ferdinand, agora é a vez dos Cut Copy. Hoje verdadeiros "senhores" da electropop. Mas o caminho para a solidificação foi, contudo, por etapas. Conheça um pouco o percurso deste trio australiano.

Sou uma fã assumida dos Cut Copy. Tudo porque transpiram uma década que é muito especial musicalmente para mim: os anos 80. Destaque para os seus gloriosos sintetizadores que marcaram o percurso de icónicas bandas como The Human League.

Iniciaram o seu percurso timidamente em 2004, fazendo jus ao seu nome. Era, de facto um "corta e cola" de sons do electropop da década de 80, como constatava a publicação Miojo Indie. A voz arrastava-se e a música era repetitiva. Um hino retro, assim sucintamente. Tudo mudaria em 2007 com o registo "In Ghost Colours" com músicas impecáveis e gloriosas como "Hearts on Fire" ou "Feel The Love". O registo "Zonoscope", de 2011, consagrava a carreira desta banda electropop. "Need you Now" e "Take me Over" empurram o ouvinte imediatamente para a pista de dança. Só pode ser bom sinal.

"Free Your Mind", de 2013, diz tudo. Libertação é o mote, num registo recheado de pérolas pop. "We are explorers" ditam o rumo do álbum, dançante e absolutamente irresistível.

Seguimos agora na companhia de Kavinsky, "um francês com nome russo", como escreveu Ana Luísa Silva para o Som à Letra. Destaco o tema "Nightcall", pela sua envolvência e revivalismo. Um ícone do filme "Drive".

No Indie consagrado fixem (ou recordem) o nome destas duas mulheres. Wendy James e Debbie Harrry. São duas importantes "frontwoman". Wendy deu voz ao curto mas intenso projeto Transvision Vamp e Debbie nos Blondie. "Heart of Glass", e julgo que já ficamos entendidos. Mas seguiram-se outros êxitos com Debbie Harry e companhia: "Sunday Girl", "The Tide Is High", "Rapture" ou o clássico "Call Me", tornam esta banda irresistível. Mas o que une Debbie a Wendy? A rebeldia.

Os Transvision Vamp também são um projeto interessante. Destaque para os temas que ainda hoje são hinos, "Baby I Don´t Care" e "I Want Your Love".



Pensamento da semana:
"Os artistas que trabalham com marcas são uns vendidos", Win Butler e o irmão, Will Butler (Arcade Fire), durante uma conversa aberta à imprensa no festival South by Southwest, citada pela Blitz.