A vitória nas eleições regionais de 29 de Março de 2015 por parte do actual líder do PSD/Madeira, começou a ser desenhada quando o mesmo surgiu em socorro dos funchalenses após a catástrofe de 20 de Fevereiro de 2010. A sua vontade de ajudar os seus munícipes, não tendo medo de se sujar e meter a mãos ao trabalho, foi possivelmente o seu melhor cartaz de campanha. Algo espontâneo sem planeamento prévio, fazendo-o ganhar a simpatia geral pelos eleitores do seu concelho. Estas imagens correram toda a Madeira, deixando todos sensibilizados e enaltecendo a sua acção.

A sua postura firme dentro do PSD/Madeira, mostrando separação do então líder Dr. Alberto João Jardim, foi outro dos aspectos a seu favor. O povo da Madeira está cansado de tantos anos de governação de Jardim, vendo o PSD/Madeira como um partido cansado e necessitando de sangue novo e jovem. O facto de esta renovação não ter sido pacífica, gerando alguma polémica interna do seio do PSD/Madeira, favoreceu muito o Dr. Miguel Albuquerque.

Depois de uma grande vitória nas eleições internas, a sua eleição para presidente da Região Autónoma da Madeira é apenas uma questão de tempo. As actuais forças de oposição e coligações pouco ou nada podem fazer. É certo que os Madeirense estão cansados do PSD/Madeira, mas as eleições na Madeira aos olhos dos Madeirenses nunca foram realizadas nos partidos políticos, mas sim nas pessoas. Neste momento a cabeça de cartaz mais conhecida é o Dr. Albuquerque, sendo que os restantes candidatos são pessoas pouco conhecidas e sem provas dadas aos Madeirenses.

O Dr. Miguel Albuquerque tem ainda o seu favor o facto da maioria dos funchalenses ter gostado do seu trabalho como presidente da câmara, sendo também o município com maior número de eleitores. O apelo à maioria absoluta é uma forma de mostrar a sua convicção e vontade de contribuir para uma Madeira melhor, sabendo desde logo que uma governação sem maioria absoluta apenas irá prejudicar os Madeirenses, tornando o processo de renovação e evolução muito mais lento.