Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o stress ocupacional (ou stress no trabalho) manifesta-se quando as pessoas são confrontadas com as exigências e pressões que não são compatíveis com os seus conhecimentos e aptidões, e que desafiam a sua capacidade de trabalho. Este stress no contexto ocupacional provoca tensão, frustração, ansiedade e exaustão emocional em relação a aspetos no trabalho que a pessoa considera difíceis.

O stress está intimamente relacionado com a carga mental associada normalmente ao trabalho, causado por um desajuste entre a pessoa e os diferentes papéis que tem de desempenhar. Poder-se-á manifestar perante muitas responsabilidades e poucas possibilidades de autonomia e controlo do trabalho, más condições físicas no local de trabalho, relacionamentos insatisfatórios e/ou conflituosos com colegas e/ou chefias.

Publicidade
Publicidade

A sua prolongação excessiva é potenciadora de um conjunto de reações orgânicas e psíquicas que se traduzem em problemas de saúde, desmotivação, frustração, burnout, diminuição de desempenho, entre outros.

O mal comum de séc. XXI é o stress! Somos vítimas de vidas agitadas e cheias de tensões, o que permite ao stress manifestar-se em vários patamares. Os níveis de stress passam pelo Eustress (stress saudável) quando está inerente à motivação que o desafio suscita - um sentimento de bem-estar. Ao efeito contrário, e característico de não cumprimento das exigências das tarefas ou solicitações, potenciando a insatisfação, cansaço, doenças físicas, etc., dá-se o nome de Distress (stress disfuncional). Quando os desafios propostos resultam de uma total exaustão física, mental e emocional (condicionando das tarefas diárias), estamos perante o Burnout.

Publicidade

As fases positivas do stress (eustress) transmitem sentimentos de vitalidade, entusiasmo, otimismo, lucidez, sãs relações humanas, etc. O oposto verifica-se no distress. Em entrevista para a Rádio Renascença, o vice-presidente da Ordem dos Psicólogos, Samuel Antunes, afirma que "só 13% das empresas portuguesas é que estão preparadas para lidar com o stress. A maior parte não tem meios humanos e técnicos. Nos países do Centro e do Norte da Europa a percentagem é muito maior".

As estratégias para gerir o stress no trabalho passam pela promoção de um ambiente de trabalho saudável. Um trabalho saudável é aquele cujas pressões são adequadas às capacidades e recursos das pessoas que o executam e proporciona um ambiente satisfatório e equilibrado - fomento da saúde mental, social e física dos colaboradores. O recurso a atividades fora do local de trabalho, tais como as caminhadas, a música, atividades ao ar livre (na natureza), ou outros hobbies com familiares e amigos, são relaxadores e revitalizantes.

A forma como nos levantamos pela manhã e encaramos o nosso dia de trabalho também merece cuidados! Elimine focus de stress! Levante-se com calma, saia com tempo, faça pausas no decorrer do dia de trabalho, beba água e alimente-se.

Publicidade

Seja assertivo na forma como se relaciona com os outros. Fomente sentimentos de cooperação e saiba dizer "não" quando necessário. Clarifique diálogos e seja um bom negociador - recorra a estratégias win to win!

Permita-se viver melhor! Não permita que o tempo dedicado ao trabalho afete as suas relações com família e amigos, deteriorando as suas relações pessoais e posterior isolamento. #Negócios