É inegável a forma como a indústria discográfica está profundamente diferente quando comparada com alguns anos atrás. Quando os Metallica processavam a Napster pelos downloads ilegais, a internet era vista como uma séria inimiga às editoras e aos próprios artistas, temendo-se que os levassem à beira da extinção. Os tempos avançaram, esses riscos mantêm-se, mas a verdade é que, tal como qualquer mudança, seja na natureza, seja na sociedade, existe a exigência da adaptação e foi isso que muitas das bandas fizeram. Talvez os dias de vendas astronómicas de álbuns tenham acabado. Também talvez tenham acabado os dias em que um nome por si só era garantia de vendas.

Publicidade
Publicidade

Agora é necessário promoção, actividade na estrada constante, edições especiais, faixas extras, dvd de bónus. É necessário oferecer mais a um público cada vez mais exigente e cada vez mais desinteressado. Um público que consome #Música descartável e é profundamente influenciado pelas tendências que lhe imputam aos ouvidos ou olhos.

No entanto, também existe o público que está ávido de música nova, que tem os seus sons mais ou menos definidos, mais ou menos estanques, mas que está receptivo aos novos valores. Infelizmente, esta fatia do público que consome música ainda não é a maioria, talvez não o venha a ser nunca, mas para ela temos sites como Bandcamp e bandas como os Darius, que querem dar-se a conhecer, que têm valor e que, principalmente, acreditam que têm valor.

Publicidade

Assumindo essa crença, tanto a banda como a sua editora, Hummus Records, partilham o álbum de estreia "Grain" na sua página do Bandcamp, na modalidade de "dar-o-que-se-quiser-dar-e-se-não-se-quiser-dar-nada-está-tudo-bem-na-mesma". Também está disponível para audição no site da webzine Artic Drones.

E quem são os Darius? Cinco rapazes suíços que colectivamente conhecidos como Darius existem há já seis anos, chegando apenas agora o álbum de estreia. A banda não esteve propriamente fechada em cada a preparar o álbum, já que conta com uma invejável actividade ao vivo, abrindo para bandas como Deftones, Lords Of Altamont e Meshuggah. A sua actividade ao vivo é o principal foco e isso é algo perfeitamente perceptível ao ouvir este "Grain", que soa bem orgânico, como se a banda estivesse a tocar à nossa frente, com todas as qualidades e defeitos que isso possa significar. O facto de terem três guitarras e nenhuma voz também faz com que se atraia as atenções de todos aqueles que procuram constantemente por novo rock instrumental. É mais que certo que temos boa música garantida e que por muito que a indústria musical mude, a qualidade sobrevive sempre, tal como a vida encontra sempre um caminho.