Páscoa, a celebração cristã que festeja a ressurreição de Jesus Cristo, é a época do ano em que, por alguma razão, as pessoas comem ovos de chocolates coloridos. Segundo reza a lenda, a tradição provém de um coelho, embora se saiba que se algo colorido sair de dentro de tal animal é mais sinal de doença do que de chocolate. É sabido que todos os anos, em países como o México ou as Filipinas, por volta desta altura, fazem-se procissões onde alguns homens se auto-flagelam com chicotadas nas costas, simbolizando e homenageando o sofrimento de Jesus nos seus últimos momentos de vida.

Percebe-se o raciocínio, se na sexta-feira santa não se come carne para homenagear o jejum de Cristo, faria sentido homenagear toda a Paixão com chicotadas a gosto.

Publicidade
Publicidade

O problema é que se isto fosse necessário para se ser bom cristão, pela mesma lógica, aí de quem não ressuscitar três dias após a morte! Pecadores vergonhosos esses que têm a mania de continuar mortos!

Não percebo o que poderá levar os habitantes destes países a executar tais actos de violência contra si mesmos numa única altura do ano. Vejamos o caso das Filipinas, como exemplo, uma região tão calma e sossegada, com rotineira actividade sísmica a cada dois dias em média, 14 vulcões activos prontos a entrar numa erupção de alegria e lava (sobretudo lava) e a estonteante brisa de tufões. Um país tão convidativo que é conhecido como um melhor exportador de mão-de-obra do que mercadoria. Sim, há muita gente disposta a arriscar partir para a aventura para outros lugares do globo, onde enfrentam grandes perigos tal como um ventinho mais fresco que poderá causar alguns espirros, mas daqueles mesmo danados que duram um dia ou dois...

É ainda sabido que Espanhóis, Norte-Americanos e até Japoneses estiveram lá e não permaneceram até aos dias de hoje.

Publicidade

Tirando umas quantas revoluções sangrentas, não se percebe porquê, um lugar tão calmo... Sendo um país onde a luta de galos é já quase um desporto nacional, será que não se cansam de ver sangue a respingar? Porque não trocam o costume das chicotadas purificadoras, e dolorosas (sobretudo dolorosas) pelo dos ovos da Páscoa? Talvez porque em questão de ovos estas ilhas se salientem pelo chamado ballut, uma bela iguaria que consiste em pouco mais que um feto de pato, e até há pouco tempo ser um país também conhecido pela bela inovação de gelado feito com ovos de crocodilo.

Se calhar é melhor o comum e tradicional bom cristão Filipino ir-se já preparando, lembrado-se onde guardou um dos objectos mais usuais e tão utilizados no quotidiano, o chicote. Aconselho a perguntar à trabalhadora da noite mais próxima onde poderá comprar os mais baratos, sendo que a prostituição, um acto ilegal, ainda é um dos problemas mais relevantes e marcantes daquelas ilhas. Voltando a um assunto mais leve, ainda há pessoas em Portugal que se queixam de que os ovos de chocolate não deviam estar associados à Páscoa, sendo uma festividade religiosa.

Publicidade

Eu pergunto, que outro cristão, sabendo agora de outras tradições, não dará graças a Deus e Jesus Cristo da próxima vez que desembrulhar o papel do seu doce em forma oval? #Religião