O site Shifter lançou hoje a "bomba": "A McDonald's Egipto andou alegadamente a comprar likes no Facebook". De facto um "amigo" meu do Facebook já me havia dado o alerta e aconselhou a leitura do artigo desse site que fala sobre o assunto. Constatei que eu tinha na mencionada página um "like" ou "gosto" meu e de outros amigos sem que razões houvesse para tal afiliação. Teorias da conspiração (serão?) à parte, o site da TVI24 explicou que o facto de a dita página ter passado de dois milhões para 16 milhões de fãs desde o início da semana (já conta com mais de 50 milhões de fãs neste momento) é apenas um "erro técnico" e não está relacionado com a compra ilícita de fãs.

Publicidade
Publicidade

A informação veio da própria administração do Facebook.

O que aconteceu, aparentemente, foi uma fusão de informações: ao fazer "gosto" na página da McDonald's Portugal, fica automaticamente feito um "gosto" à página egípcia. Tanto que o número de "gostos" nas duas páginas é muito semelhante. Pode fazer a experiência agora mesmo e comprovar. O Facebook tem mudado muito ao longo dos seus 11 anos de existência, mas pelos vistos há ainda muito para aperfeiçoar.

Será possível comprar likes?

Ao que parece é mesmo possível comprar fãs para páginas e até para ter "gostos" em fotos. Basta pesquisar na Internet para encontrar sites como o Comprar Fans Facebook, onde por cerca de 10 euros (15 dólares) se podem adquirir 100 "gostos" numa publicação ou por cerca de 13 euros (19 dólares) se podem conseguir 500 fãs para uma página.

Publicidade

Mas esta informação publicada pelo site da TVI24 foi desmentida pelo Facebook à empresa de notícias portuguesa. "Não há nenhuma maneira legítima para comprar gostos de pessoas sem o seu conhecimento", terá garantido a fonte.

As evidências, no entanto, contrariam as declarações da empresa de Mark Zuckerberg. A Boostlikes é uma das empresas que recorre a "clickfarms" ("quintas de cliques", em português) para vender os tais likes no Facebook e noutras redes sociais. A empresa alegadamente recorre a pessoas de países, principalmente asiáticos, a quem paga para que façam "gosto" a páginas. O pagamento será de um dólar por cada 100 likes, segundo um vídeo publicado no Youtube, intitulado "Facebook Fraud" ("Fraude do Facebook", em português).

Sim, de facto, o Facebook proíbe tais práticas e recentemente até fez uma "limpeza" aos perfis falsos. Mas a própria rede social "vende" formas menos radicais de aumentar o número de fãs. Por exemplo, quem gere uma página no Facebook, é frequentemente relembrado de que pode conseguir mais likes ao promover a página.

Publicidade

Como? Através de anúncios pagos ao Facebook, para aparecerem no ecrã de pessoas que poderão ser o público-alvo da página. Esta será a única forma legal de aumentar o tráfego.

Apesar de há pouco tempo ter implementado novas regras de publicação e conduta, ainda há muito por fazer no Facebook. Talvez as regras de conduta das empresas devam também mudar, à semelhança do que aconteceu recentemente para os utilizadores. O que pensa o leitor?