Quando falamos em "raça", em "querer", em "nunca desistir" ou em "luta", o nome Maxi Pereira vem imediatamente à cabeça de qualquer benfiquista. Desde 2007 que o uruguaio nos habitou a uma entrega total seja em que jogo for. Não desiste, não dá bolas por perdidas, luta até ao último segundo do tempo de jogo e é um excelente companheiro para todos os colegas de equipa (que o diga Nico Gaitán). Neste momento, falar em #Benfica sem falar em Maxi, é como falar do Benfica sem falar em Luisão. Tal como o experiente brasileiro, também Maxi se tornou um símbolo do plantel encarnado. Para além de ser um exemplo para os mais novos, que nele se inspiram e retiram ideais fundamentais, é também um líder dentro de campo para os seus companheiros.

Publicidade
Publicidade

Desde que ingressou no Benfica em 2007, onde originalmente era médio avançado (como a posição de Salvio) tendo sido rapidamente adaptado (e com bastante sucesso) a defesa direito, Maxi foi-se tornando num dos jogadores mais utilizados pelos treinadores. Ora vejamos os dados estatísticos:

  • Liga Portuguesa: 207 jogos, dos quais 146 são vitórias, 38 empates e apenas 23 derrotas; ao longo de 8 anos marcou 11 golos.
  • Taça de Portugal: 22 jogos, dos quais 13 são vitórias, 2 empates e 6 derrotas; marcou apenas 1 golo.
  • Taça da Liga: 23 jogos, dos quais 19 são vitórias e 3 são empates; marcou igualmente numa ocasião.
  • Competições Europeias: 74 jogos, dos quais 27 são vitórias, 15 empates e 22 derrotas; marcou por 6 vezes.

Maxi conta no seu currículo ao serviço do Benfica com 2 Ligas Portuguesas (2009/2010 e 2013/2014), 1 Taça de Portugal (2013/2014), 5 Taças da Liga (2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e 2013/2014), 1 Supertaça Cândido Oliveira (2014) e ainda a presença em duas finais europeias (Liga Europa em 2012/2013 e 2013/2014).

Publicidade

Apesar de ser conotado como um jogador agressivo, a verdade é que o jogador uruguaio nunca levou, em mais de 327 jogos ao serviço do clube encarnado, um cartão vermelho directo. Já foi expulso por acumulação de amarelos, mas directo, nunca.

Com o jogador em final de contrato e sem sinais de renovação iminente, têm surgido na imprensa nacional e internacional notícias que dão conta do interesse de diversos clubes, como por exemplo, Nápoles e Galatasaray, na contratação do "pequeno" lateral. Esta não deverá ser a vontade da nação benfiquista, que com certeza gostaria que o jogador continuasse a representar o Benfica por muitos mais anos. É bastante difícil encontrar um jogador com tanto amor à camisola, como Maxi apresenta. É um verdadeiro jogador "à Benfica". #Futebol