Ao falar da Páscoa aos mais novos, teremos de associar os seus principais símbolos: o ovo e o coelhinho. Se a Páscoa é a festa anual dos Cristãos que comemora o retorno à vida de Cristo ao terceiro dia após a morte, há várias razões que justificam aqueles dois símbolos como marcas da efeméride. Os mais novos agradecem e quem os vende também. Se é para festejar o regresso de Jesus à vida, então nada melhor que um ovo para simbolizar a data. O ovo é considerado o fruto da vida que representa o nascimento e a renovação. Dizem algumas tradições que são vários os povos que acreditam que o mundo nasceu de um ovo.

Na comunidade cristã, o ovo surge como sendo uma sinal de renovação. Daí que exista a crença de que comer ovos no Domingo de Páscoa pode trazer saúde e sorte para os restantes dias do ano. Talvez seja por isso que os tradicionais folares são cozidos com ovos no seu meio. Quanto ao coelho, as tradições populares apontam para o facto de ser um dos animais com maior capacidade de gerar grandes ninhadas, por isso uma imagem que simboliza a renovação e a nova vida. Contudo, apesar da tradição do coelho da Páscoa estar enraizada em Portugal, ela tem origem alemã e remonta ao início do século XVIII.

A história associa o coelho da Páscoa a uma lenda que conta que uma mulher pobre coloriu alguns ovos de galinha e os escondeu para os oferecer aos seus filhos como presentes da Páscoa. Ora, quando os petizes encontraram os ovos surgiu um coelho a correr que os espalhou. Daí que a lenda refira que foi o coelhinho que distribuiu os ovos coloridos. O certo é que ao longo dos tempos os ovos coloridos e o coelhinho da Páscoa foram adoptados como símbolos da Páscoa sobretudo para o comércio, que os transformou em iguarias, das mais diversas formas, para atrair a atenção dos mais novos. Quanto mais doces, melhor.

A celebração da Páscoa em Portugal tem início no Domingo de Ramos (domingo anterior ao Domingo de Páscoa), quando Jesus entrou em Jerusalém e foi aclamado com ramos de palmeira. Em algumas comunidades cristãs é durante a semana (Semana Santa) que são limpas as casas, embelezando-as para receber o Compasso (Visita Pascal) que consiste na visita do padre a cada habitação para abençoar o lar e quem nele vive. Tradicionalmente o sacerdote é recebido com amêndoas, tendo em conta a sua semelhança aos ovos, e outras doçarias, em especial os folares, que os padrinhos oferecem aos seus afilhados. Ao longo dos tempos, os símbolos foram transformados em dinheiro e foi-se perdendo um pouco o espírito simbólico. #Negócios #Religião