Mais um jogo, mais dois golos: é este o cartão de visita do passado fim-de-semana para Jonas, o Mestre que também é pistoleiro, depois de encantar as hostes encarnadas com os dois selos da vitória no Restelo, que deixam o #Benfica na melhor das posições para renovar o título de campeão nacional.

Mas se o Benfica caminha a passos largos para a renovação, o mesmo se aplica a Jonas, que merece o reconhecimento de todos os adeptos pelo que tem conseguido no clube das águias, e não se deveria pensar muito na hora de renovar com o avançado, que garante:

Golos. Muito golos. De todas as maneiras. O brasileiro não perdoa na hora de facturar, e já leva 26 tentos em 29 partidas de águia ao peito, sendo que marcou 6 golos só no últimos 3 jogos.

Publicidade
Publicidade

Classe. Muita Classe. O brasileiro espalha magia pelos relvados onde o Benfica joga, com toda a sua tranquilidade, conseguindo tranquilizar os adeptos numa tarde mais preocupante, em que parece que o Benfica não consegue desbloquear o jogo, pelo menos até aparecer Jonas, o desbloqueador em série.

Experiência. A saída de Enzo acabou por criar ali uma ausência não só na qualidade, mas também na experiência em campo, e Jonas é alguém à altura de Enzo para colmatar essa falha. Um exemplo para os mais novos, dentro e fora do campo, e que os golos apenas vão certificando a sua mestria por entre os mais novos.

Animação. Vá, Jonas é quem anima os dias mais tristes dos benfiquistas, pois quando o vemos já sabemos que vai sair dali um golo para nos animar a tarde. Quantas depressões instantâneas não curou Jonas ao longo desta época, da serra da Covilhã, passando pelo Restelo.

Publicidade

Companheirismo. Jonas e Lima são quase como uma dupla sertaneja, onde um vai cantando solto e o outro acompanha estimulando os graves, dando música a essas defesas espalhadas por todo o país. Só o bom companheirismo e entendimento entre estes dois jogadores rendeu quase metade dos golos benfiquistas desta temporada, e está na altura de se perceber isso.

Loucura. Jonas é um exemplo, mas também tem o seu quê de louco. Quando vê a bola vir na sua direcção, já está a pensar na forma como a há-de tratar, e é sempre daqueles loucos que todos gostam pois dá-lhe um trato exemplar. É um jogador dedicado, e um homem dedicado ao clube que lhe deu guarita, mas não será difícil de entender caso queira regressar ao Brasil. Mas certamente nunca será mal-agradecido, e levará os adeptos encarnados no coração para onde quer que vá.

São garantias a mais que não deveriam ser deixadas à feição do vento, e que podem ser carimbo de renovação de contrato com mais um ano de extensão. E com certeza nenhum adepto encarnado se iria queixar disso. #Futebol