Quando Lopetegui se apresentou no Estádio da Luz, no jogo a contar para a 30ª jornada da Liga NOS, poucos esperavam que abdicasse dos extremos para povoar o meio campo, numa tentativa óbvia de impedir que o Benfica marcasse um golo. Foi, então, fácil de perceber como anularia o ataque encarnado, evitando assim que ultrapassar os rivais na tabela fosse uma tarefa hercúlea. No entanto, não deu para perceber qual a forma eficaz com que Lopetegui pretendia marcar os três golos que tanto precisava para subir ao primeiro posto, já que só Jackson é que deambulava no ataque, em busca de tal missão.

Os adeptos portistas, na sua grande maioria, consideram que o #Futebol Clube do Porto fez um grande jogo, e que os jogadores tiveram exclusivamente a culpa de não saírem da Luz com os três pontos, mas será que as coisas são mesmo assim? Se Jackson falha em momentos cruciais, a culpa não será do treinador, que insiste em deixá-lo sozinho na frente, perante a dureza de Jardel e a disciplina de Luisão?

Na verdade, Lopetegui só sabia como defender o resultado, e entrou em jogo para isso, só lançando Quaresma na segunda parte, em busca de algo que o defendesse do empate.

Publicidade
Publicidade

Só soube montar o meio-campo, onde conseguiu ferir o Benfica na parte que menos doía aos encarnados, resultando esse ferimento num pequeno lanho que nem chegou a sangrar. A única estratégia que Lopetegui soube aproveitar, nem foi mérito seu - explorar as fragilidades de Eliseu - e até nisso foi obrigado a seguir Jesus, que poderia ter lançado outro jogador naquela posição, deixando o treinador portista sem nada.

Depois de uma derrota humilhante em Munique, mas sob a desculpa de que estaria a jogar contra um colosso mundial, os adeptos levaram a equipa, e o treinador, em braços, até ao clássico da Luz. E, embora alguns já tenham perdido a ilusão, ainda há quem, por entre os portistas, acredite que o Benfica irá escorregar, e que o FC Porto possa ser campeão. Mas se isso acontecer, mais uma vez volta a ser mérito (ou desmérito) de Jorge Jesus, e Lopetegui, como sempre, volta a ser mero observador do que se passa, sem influência directa no acontecimento.

Publicidade

Enquanto os adeptos do FC Porto vão culpando árbitros e falta de sorte para proteger o treinador espanhol, recordo que Vítor Pereira venceu 2 títulos a Jesus, e acabou "corrido" do clube. No entanto, Lopetegui parece gozar de um estado de graça que se tem tornado estranho para quem não é afecto aos azuis, e, por estes dias, até na Wikipédia se goza, enquanto em terras de Dragão parece que não se passa nada. #F.C.Porto