Desde ontem à noite que os utilizadores das redes sociais se estão a revoltar com o caso de bullying na Figueira da Foz. A notícia já foi partilhada em todos os meios de comunicação social, inclusivamente na Blasting News, e tem sido o tema do momento. Nas últimas 24 horas soube-se da existência do vídeo, identificaram-se os agressores e a vítima e até já se abriu um processo judicial. Mas não é isso que quero comentar, pois os factos ficam para outras secções.

Desde o caso do Ídolos que o bullying voltou a estar na ordem do dia (pelo menos voltou a ser mais falado) e, na altura, foram muitos os protestos, também, nas redes sociais. O que nos chegou ontem é diferente. Trata-se de #Violência física e verbal contra um rapaz que está sozinho a ser atacado. Se, no vídeo, vemos cerca de 8 adolescentes contra um, agora falamos de milhares de pessoas contra 8 adolescentes. E é mesmo aqui que me quero debruçar: o que milhares de pessoas estão a fazer também não é bullying? Desculpem, tem um nome diferente: cyberbullying.

Antes de continuar, quero apenas fazer um reparo: eu condeno totalmente o que se vê no vídeo. Por causa da agressividade das imagens, fui das pessoas que não conseguiu ver o vídeo seguido. Chocou-me muito, até porque se passou na minha cidade natal. Mas voltemos à vaca fria. Basta percorrer o feed do facebook para ver milhares de comentários ofensivos dirigidos aos agressores. Não é preciso escreverem "A estas era de chicote até ficarem a sangrar!" ou "Espero nunca me cruzar com nenhuma delas na rua, para o bem da saúde delas...". E estes não são os comentários piores: há muitas asneiras à mistura e muitos insultos aos pais. Pior é estarem a publicar os perfis de facebook pessoais de agressores e vítima. O que é que ganham com isso? Milhares de mensagens na caixa de entrada dos agressores? Eu nem quero imaginar o conteúdo, mas acredito que seja muito violento. O processo já está aberto. As autoridades já sabem da situação e estão a tomar as medidas necessárias.

Eu não quero ir muito longe, mas praticar cyberbullying é #Crime punível por lei e que pode ir até dois anos. Eu entendo a revolta, mas não consigo aceitar. Todos podemos opinar sobre tal situação (que é condenatória) sem partir para o insulto fácil e para as ameaças. O pior é que casos assim servem para abrir um olho e fechar o outro.