Ao longo da história do Cristianismo, temos conhecimento do milagre de São Paulo, um cego que através de um milagre de Cristo passou a ver. Mas o que terá acontecido para a sua cegueira temporária? Nas últimas semanas temos colocado a descoberto alguns mistérios da História que muitos desconheciam, ou pouco conheciam, como foi o caso do Druidismo, do país estado Couto Misto, e da Capital de Portugal. Desta vez iremos entrar num assunto bastante polémico. Falaremos do Cristianismo, mais concretamente da conversão de São Paulo.

Muitas são as vezes em que se fala nos milagres realizados por Cristo. Um deles foi a cura de São Paulo, que era cego e passou a ver.

Publicidade
Publicidade

Não podemos deixar de referir que São Paulo era um dos mais vorazes perseguidores do cristianismo.

Não colocando em causa a Bíblia, o que um cientista coloca a descoberto foi que São Paulo observou a queda e explosão de um meteorito e foi essa a causa da sua cegueira durante três dias: a luz forte que observou. Terá afirmado mesmo ter ouvido um som que atribuiu à voz de Deus e que poderia ser o impacto do meteorito. Foi através desse facto que o apóstolo de Jesus Cristo ficou completamente impressionado e se converteu. No entanto, aquando da sua ida a Damasco, São Paulo é curado pelas mãos do Sacerdote Ananias, que curava em nome de Cristo.

Esta é a conclusão de um investigador co-fundador do Instituto da Ciência Planetária de Tucson (Arizona), William Hartmann, que se baseou e comparou fragmentos bíblicos com factos astrológicos.

Publicidade

Este investigador chegou mesmo à conclusão que o meteorito observado por S. Paulo era muito idêntico ao que atingiu em 2013 Cheliabisnk.

Este é um dos casos em que não existem certezas absolutas, no entanto também é um caso em que se mostra e tenta entender aquela cegueira de 3 dias e o porquê da conversão do apóstolo.

Não pretendemos com isto colocar em causa a questão bíblica nem a Igreja, nem o sucedido para a cura de São Paulo, mas sim mostrar que muitos dos casos não advêm apenas de milagres ou crenças, mas sim de factos naturais e astrológicos, e que não podemos esquecer que a Ciência e o senso comum andam de mãos dadas, por mais que não queiramos. #Religião