Numa altura em que o #Futebol movimenta cada vez mais dinheiro, a realidade dos clubes portugueses não permite o acompanhamento desse cenário e é necessária uma mudança na maneira de compor o plantel. Num passado bastante recente o FC Porto era exímio na contratação de jogadores relativamente prontos para o futebol europeu (Jackson, Falcao, Hulk, James, entre muitos outros) a bons preços. Esses jogadores eram mais tarde vendidos com lucros consideráveis, mas agora, devido a vários "obstáculos", nem os preços para a aquisição dos mesmos são tão acessíveis, nem os lucros tão evidentes e generosos. Para alguns o futuro passa por uma aposta na formação.

Publicidade
Publicidade

Visão 611

Em 2006 o clube criou o extinto projeto "Visão 611", que tinha entre outros objetivos a revitalização da formação do clube da cidade Invicta. No entanto, nenhum jogador que tenha passado pelo projeto se encontra atualmente no plantel principal, apesar de Josué o ter feito na época transata e ao que tudo indica Gonçalo Paciência fará parte na próxima. Há ainda alguns rumores que afirmam que podem estar iminentes os regressos de Sérgio Oliveira e André André ao clube que os formou durante o "Visão 611".

Num passado mais recente e com a recriação da equipa B, na época 2012/13, os Dragões têm tentado uma "nova" abordagem a este capítulo da sua estrutura.

Dragon Force

Destaca-se o projeto Dragon Force, criado em 2010 (durante o "Visão 611"), transversal às várias modalidades do clube.

Publicidade

Destina-se a jovens dos 4 aos 14 anos e de certa maneira funciona como a escola de formação de futebol do clube neste escalão etário, onde é feita uma "deteção e aperfeiçoamento" dos jovens. Tem atualmente 14 escolas no país e está também presente na Colômbia, país onde o FC Porto tem bastante reputação. Após os 14 anos os atletas são integrados no escalão de sub-15 do FC Porto.

FC Porto B

A ponte entre a formação e o escalão sénior é sem dúvida a equipa B, onde os jogadores que saem da formação portista tem o primeiro "contacto" com o futebol sénior. São exemplos de jogadores que passaram por este processo F. Maciel, G. Paciência, A. Silva, Rafa, F. Ramos, T. Podstawski e I. Rodrigues (emprestado ao Vitória S.C.). Estes últimos cinco vão representar os sub-20 portugueses no Mundial deste escalão.

Para além desta ligação entre formação e equipa principal, a equipa B também tem outros papéis, nomeadamente a "triagem" de jovens contratados por empréstimo (assim quer o risco, quer o investimento são menores), sendo possível fazer uma avaliação e acompanhamento mais próximo dos mesmos. São os casos do sérvio Pavloski, do colombiano Leonardo e do mexicano Gudino; estes dois, ao que tudo indica, serão contratados em definitivo.

Serve também para a adaptação dos jogadores recém-chegados à realidade do clube e do país e para os menos utilizados da equipa principal, como sucedeu com Herrera (época transata), Reyes, Evandro, Campaña, entre outros. #F.C.Porto