Muita especulação se tem vindo a amontoar às portas de Alvalade. É uma incógnita a permanência de Marco Silva no #Sporting na próxima temporada. O técnico já veio afirmar que tem contrato, e que o quer cumprir, mas algumas "más-línguas" ligam Marco Silva ao clube das Antas, o que este já veio desmentir prontamente.

Ainda restam 3 anos de contrato ao técnico leonino e um balanço de temporada demonstra que esta foi positiva. O principal objetivo passava claramente por vencer o campeonato, mas, derivado a alguns condicionantes que foram acontecendo ao longo da temporada, a distância para essa meta foi alargando e os leões acabaram por ficar a uma distância de 9 pontos do título.

Publicidade
Publicidade

É justo dizer que o Sporting perdeu hipótese de lutar pelo título quando sofreu aquele golo frente ao Benfica, já no tempo de descontos, que daria o empate aos encarnados. Foi ali, naquele instante, que o Sporting viu todo um trabalho realizado anteriormente, desmoronar-se por completo.

Outro dos objetivos da Direção verde e branca era vencer a Taça de Portugal. Creio que Marco Silva esteve à altura disso, apesar de o troféu ainda não ser garantido, porque ainda falta disputar a final frente ao SC Braga, mas chegar ao Jamor já é um grande passo, o que demonstra a enorme ambição de Marco Silva e dos seus jogadores.

Outro dos pontos importantes a mencionar foi a campanha na Europa. O conjunto leonino bateu-se bem na Champions League, tendo em conta que tinha um grupo bastante difícil, e conseguiu o 3º posto, que até podia ter sido o 2º.

Publicidade

Com isto, foram renegados para a Liga Europa, onde enfrentaram o Wolfsburgo, equipa bastante poderosa da Liga Alemã, que não deu grandes hipóteses aos leões para sonharem um pouco mais. Na Taça da Liga, Marco Silva optou sempre por fazer a rotação do plantel, o que permitia dar minutos aos jogadores mais jovens e menos utilizados.

A grande dúvida é: Se Marco Silva sair, quem será o próximo treinador do Sporting Clube de Portugal? A imprensa tem avançado com alguns nomes, entre eles está o de Jorge Jesus (o que a mim me parece um pouco absurdo), outro dos nomes em cima da mesa (pelo menos para os jornais) é o de Rui Vitória (treinador do Vitória de Guimarães) e, por último, também já surgiu o nome de Paulo Fonseca (treinador do Paços de Ferreira).

Quanto à primeira opção: Jorge Jesus. A mim, parece-me absurdo, e passo a explicar o porquê. É do conhecimento de todos que o facto de Jorge Jesus ingressar no Sporting ia gerar uma grande polémica, isto porque mudar-se para um clube rival não é algo que qualquer um possa fazer sem ter as devidas consequências.

Publicidade

Para além disso, o Sporting atualmente tem algumas dificuldades financeiras, e não me parece que estaria disposto a abrir cordões à bolsa para pagar a JJ. Por último, é sabido que o técnico encarnado não aposta muito nas camadas jovens, muito menos dá hipótese aos jogadores mais jovens de mostrarem o seu valor, pelo que esses ideais são completamente opostos aos de Bruno de Carvalho.

Rui Vitória: Será que era uma boa solução? Talvez até fosse. É um técnico bastante experiente, que fez uma excelente temporada ao serviço dos vimaranenses. Sim, porque é importante frisar que, apesar de terem terminado no 5º posto, o V.Guimarães, na primeira metade da época, andou sempre nos lugares mais cimeiros, e apenas o desfalque de jogadores que sofreu em Janeiro deixou a equipa mais fraca, fazendo com que fossem caindo na classificação. Rui Vitória tem contrato com o Vitória de Guimarães até 2017.

Por fim, existe a possibilidade de Paulo Fonseca. A formação de Paços de Ferreira ficou um pouco aquém das expectativas, e nem conseguiu o apuramento para a Europa, na próxima temporada, pelo que o técnico, que já passou pelo FC Porto, deverá querer procurar outras paragens mais ambiciosas e com mais competitividade.

A dúvida em torno da saída do técnico leonino permanece, assim, no ar. E vocês, o que acham que vai acontecer? Se Marco Silva sair, quem acham que irá ser o seu sucessor? #Primeira Liga Portuguesa #Mercado de Transferências