O treinador Quim Machado assumirá o comando técnico da equipa do Vitória de Setúbal na próxima época. Após conseguir a subida de divisão do Clube Desportivo de Tondela, para o principal escalão do #Futebol português, o treinador de 48 anos decidiu assinar com a equipa sadina.

Na despedida, após receber as faixas de campeão da segunda liga na Câmara Municipal de Tondela, o treinador confessou que "até ao próximo fim-de-semana vou resolver a minha vida. O estrangeiro é uma hipótese, mas quero analisar outras propostas que possam acontecer. Cumpri o que me foi pedido, a subida de divisão. A partir de agora, o presidente tem toda a legitimidade de escolher outro treinador, assim como eu tenho legitimidade de procurar outros clubes".

Publicidade
Publicidade

A verdade é que, em menos de 24 horas, o treinador assina com o Vitória de Setúbal deixando muitas pessoas surpreendidas.

É verdade que os sadinos estavam a analisar várias propostas e que o feito alcançado por Quim Machado pode ter determinado a decisão final da direcção sadina. Contudo, existem perguntas que devem ser feitas. A primeira é se esta foi uma decisão sábia. Ao deixar o Clube Desportivo de Tondela, Quim Machado sai pela porta grande. Os adeptos auriverdes ficarão eternamente gratos pelo objectivo conseguido. Ainda assim, escolher uma equipa que passa por momentos conturbados pode não ter sido a melhor escolha.

O Vitória acabou no 14º lugar na última edição da primeira liga. Embora seja um clube com muitos anos de primeira divisão, os sucessivos problemas financeiros têm gerado uma nuvem negra no Bonfim.

Publicidade

Quim Machado pode trazer determinação e garra. O que já não é mau. E isso viu-se na equipa do CD Tondela.

Após chegar a meio da época, para suceder a Carlos Pinto - actual treinador do Clube Desportivo de Chaves, que falhou o assalto à primeira liga - Quim Machado arrecadou vitórias atrás de vitórias colocando o Tondela em lugar de subida. Ainda assim, o treinador tremeu. A quatro jornadas do fim, o Clube Desportivo de Tondela chegou a ter nove pontos de vantagem para com o segundo classificado. No último e derradeiro jogo podia ter terminado em segundo lugar não fosse o golo de André Carvalhas a dar o empate aos '93 minutos e o título de campeão aos auriverdes.

Mais: a prestação de Quim Machado no Tondela foi claramente a melhor em toda a carreira de treinador. Passou por vários clubes - o Lechia Gdansk, na Polónia, foi o último antes do CD Tondela - e não deixou marca. Não será este um desafio onde os riscos são bem mais do que o proveito final?

Até que ponto não seria melhor Quim Machado ter continuado no Tondela e ver o que dava na primeira liga com a equipa que bem conhece? Aceitar este desafio pode ter sido um erro.

Publicidade

Ainda assim, as várias tácticas que o treinador implementou na equipa beirã podem ser um trunfo para os sadinos, que precisam de bons resultados urgentemente. As movimentações tácticas, diferentes em todo o jogo, permitiu confundir adversários e conquistar vitórias pelo CD Tondela. Mas, na primeira liga, é preciso mais do que isso. É preciso conhecer o futebol aqui praticado. E este será o primeiro contacto do treinador perante esta realidade. É certo que enquanto jogador passou por Braga, Guimarães e Estrela da Amadora, mas o futebol português evoluiu e já não é o que era.

Quim Machado terá agora vários meses para conhecer esta realidade, trabalhar na equipa sadina e em possíveis entradas de jogadores para a reforçar. Pode ser que surpreenda, como fez muitas vezes no João Cardoso, em Tondela.