Esta é a história que tem sido ignorada, tanta a confusão à volta da alegada ida de Jorge Jesus para o Sporting (não confimada oficialmente por nenhuma das partes) e com o próximo sucessor do ainda treinador do Benfica, que conquistou o bicampeonato e mais uma Taça da Liga esta época, e que finda oficialmente o contrato com o emblema da águia a 1 de Julho. Três jogadores contratados pelo Benfica ao Rio Ave sem se entender, agora, a pedido de quem. De acordo com vários órgãos noticiosos, Ederson, Diego Lopes e Hassan (este último que chumbou nos exames médicos devido a problema cardíaco mas que é possível debelar) já assinaram contrato com o emblema encarnado, que pagará três milhões (1 milhão por cada passe). 





Ederson e Diego Lopes até já conhecem os cantos à casa, visto terem alinhado nos escalões de formação do Benfica, já Hassan, também desejado em Alvalade, irá estrear-se com a camisola encarnada, ao que tudo indica (e caso a cirurgia que se virá forçado a fazer corra bem). O que urge agora questionar acerca destas três contratações para a época que se avizinha?



Ora, se Luís Filipe Vieira, assumiu ontem, publicamente, no jantar que o Benfica ofereceu a todos os deputados benfiquistas da Assembleia da Republica, que estava desiludido mas não surpreendido com a ida de Jorge Jesus para o clube rival, confirmou que as negociações não estariam a indiciar a permanência do técnico na Luz.

Publicidade
Publicidade

De quem partiu então a ideia de contratar estes três atletas dos quadros do Rio Ave para a próxima época?



Se Jorge Jesus não estava garantido, nem alinhado com as ideias de Luís Filipe Vieira, não faz muito sentido avançar para o reforço da equipa sem saber o que poderia achar dos jogadores em causa o novo treinador que virá para a Luz. Todos sabemos que se tratam de atletas jovens e com potencial. Mas imaginemos agora que o futuro treinador do Benfica, que será apontado nos próximos dias, com toda a certeza, rejeitava os três jogadores em causa ou não acreditava que as suas características pudessem servir aos interesses no plano estratégico/tático da sua equipa. Qual é, afinal, a lógica destas contratações?



Seria expectável que alguém explicasse ou justificasse estas três contratações, sob pena de este negócio parecer apenas mais um entre muitos negócios que indiciam uma promiscuidade entre Benfica e jogadores ou clubes que colaboram com o empresário Jorge Mendes.

Publicidade

Será isto uma espécie de acerto de contas? O que acontece é que, com tanto ruído com a saída de Jesus, a necessidade de procurar um novo técnico, dirigentes, equipa e adeptos estão tão distraídos que parece não haver ninguém que ouça o bater na porta e abra a porta aos três jogadores. Nem quem explique o quê ou quem os trouxe à Luz. #Mercado de Transferências