As últimas novidades deixaram os adeptos dos três "grandes" em estado de alerta. Os benfiquistas abalados com a saída do treinador e na expectativa de saber como correrá a mudança. Os leões em euforia com o golpe aplicado ao rival e a contratação de um treinador com provas dadas. Finalmente, os portistas, preocupados com eventuais saídas de jogadores, apontando as mudanças nos rivais como factor positivo.

O anúncio do novo treinador do #Benfica está por horas e tudo aponta no sentido de se confirmar o nome de Rui Vitória. O técnico do Vitória de Guimarães é o favorito de Luís Filipe Vieira e enquadra-se no projecto que pretende implementar, mais orientado para a aposta nos valores formados no Seixal, algo que, apesar da insistência do presidente, não foi possível com Jorge Jesus.

Publicidade
Publicidade

Os adeptos, numa perspectiva de vingança, têm-se manifestado por Marco Silva, mas o seu desejo não é viável por ainda estar ligado ao #Sporting. Nessa medida, os benfiquistas começam a exigir reforços que permitam dotar a equipa dos argumentos necessários para ser novamente campeã. Acredita-se que Luís Filipe Vieira venha a abrir os cordões à bolsa e apresente alguns jogadores que entusiasmem a nação benfiquista.

O FC Porto mantém a sua estrutura técnica apesar da contestação dos adeptos a Julen Lopetegui durante a época transata. Os dirigentes acreditam que o melhor conhecimento do nosso futebol e as lições que Lopetegui aprendeu serão suficientes para levar o clube a novas conquistas. As alterações nos adversários reforçam a crença no caminho da estabilidade.

No entanto, os adeptos estão de pé atrás com a perspectiva de saída de alguns dos jogadores mais importantes.

Publicidade

Danilo, Casemiro e Oliver Torres, titulares na época passada, já disseram adeus ao Olival, mas é a provável saída de Jackson Martinez que mais os afecta, pelo seu inquestionável valor. Entretanto vão-se sucedendo nomes de potenciais reforços.

Em Alvalade, Bruno de Carvalho apresentou Jorge Jesus como o homem que traz o Sporting no coração e comprometeu-se a dar-lhe condições para que tenha sucesso. Discurso muito parecido com os que fez quando apresentou Leonardo Jardim e Marco Silva nas temporadas anteriores. Ambos saíram com queixas de interferência presidencial em questões técnicas. Além disso, muitos sportinguistas repudiam o tratamento dado ao treinador que venceu a Taça de Portugal.

Conhecida a personalidade de Jorge Jesus, a gestão do risco de conflito será um verdadeiro teste à capacidade do presidente se colocar na sombra do treinador. Bruno de Carvalho assegurou que a única exigência de Jorge Jesus foi treinar o clube do coração, ao mesmo tempo que circulavam rumores sobre garantias bancárias, prémios de assinatura, manutenção de jogadores e reforços de peso.

Publicidade

O presidente tenta mostrar que a relação entre os dois se balizará por acordos simples, no entanto, Jorge Jesus tem demonstrado que não volta a cara a polémicas e que diz com frontalidade o que lhe vai na alma.

A existência de investidores para financiar a contratação de Jorge Jesus foi desmentida por Bruno de Carvalho, que, como por magia, encontrou recursos próprios para a operação. As disputas jurídicas que poderão acarretar a obrigação de pagar muitos milhões, levam muitos adeptos a querer saber os contornos da real situação financeira do Sporting, o que lhes permitirá aferir se o risco de colapso do clube é real, pelo que muitos notáveis estão na mira.

A próxima época promete emoções fortes e os adeptos já vão discutindo quem parte como favorito. #F.C.Porto