Toda a ascensão política de José Sócrates foi realizada através das juventudes partidárias, pois não se lhe conhece trabalho real na sociedade civil, que não sejam só uns pequenos trabalhos de construção civil, sem carteira profissional de engenheiro civil. Aqui toda a polémica sobre o seu curso de engenharia, concluído via fax, a um domingo. Estes factos foram mencionados até à exaustão na comunicação social. Apesar de inicialmente ter ingressado nas fileiras da juventude social democrata, cedo deu o salto para o Partido Socialista. Com uma carreira política conseguida a pulso, chegou ao maior cargo do seu partido.

Um homem vaidoso por natureza, apelidado de "animal político", sentia-se intocável, perante a passividade da #Justiça portuguesa.

Publicidade
Publicidade

Conseguia fazer amigos nos altos cargos do Estado português. Já durante a sua ascensão a ministro do Ambiente no #Governo de António Guterres, começaram a aparecer as primeiras polémicas. Os estudos de impacto ambiental deixavam muito a desejar, já para não falar de obras assinadas por ele, onde se construía um prédio por cima de uma vacaria.

Havia um certo ar de ingenuidade quando se apresentava ao público, como um feito de ilusionismo que fazia acreditar o povo na sua boa vontade para o bem comum. Mas esse "bem comum" era o seu cofre particular, que se ia enchendo de negociatas com as grandes empresas que se queriam instalar em Portugal, à custa de benefícios que lesavam o Estado. As concessões de parcerias chamadas de PPP, das quais o Estado não tirou benefícios, são um assunto mais do que batido na opinião pública.

Publicidade

Meter um ex-primeiro ministro na cadeia, é inédito em Portugal. Só um magistrado com mão de ferro para a corrupção, e sem medo de represálias, e também com argumentos jurídicos, poderia levar à cadeia José Sócrates. Mesmo assim, o ex-primeiro-ministro quer fazer da mentira uma verdade inquestionável. Ao recusar a pulseira eletrónica, e pensando que o juiz Carlos Alexandre ia usar da sua vontade para o colocar com terno de identidade e residência, saiu-lhe o tiro pela culatra, ficando na mesma preso preventivamente em Évora. Todas as informações que José Sócrates passou para a comunicação social fazem dele um aspirante a Napoleão, ou Marquês de Pombal, na sua disponibilidade para vender ilusões. Quando sair a acusação final sobre o caso, todo o povo português vai saber quanto dinheiro José Sócrates roubou ao Estado português.