A "luta" entre #Cristiano Ronaldo e #Lionel Messi parece não se ficar pelos relvados. Assiste-se todos os anos a uma discussão entre os fãs de ambos sobre qual é o melhor jogador. Discute-se o número de golos, os títulos, as assistências, os golos de cabeça, os golos de pé direito, entre muitas outras coisas. A verdade é que são dois jogadores fantásticos e é quase impossível dizer qual será o melhor, visto que Lionel Messi conta com 4 bolas de ouro e Cristiano com 3, mas até aqui se gera alguma discussão quanto a justiças e injustiças.

O jornal desportivo espanhol "Marca", na sua edição de hoje, destaca outra batalha, desta feita fora dos relvados.

Publicidade
Publicidade

Neste campo, os números são arrasadores e favoráveis ao internacional português. Cristiano Ronaldo contabiliza mais de 158 milhões de seguidores nas #Redes Sociais Facebook, Instagram e Twitter. Lionel Messi, neste campo, é arrasado pelo português, visto ter menos 65 milhões de seguidores em relação a CR7. Com estes números, Cristiano Ronaldo torna-se o desportista com mais impacto mediático do planeta e o jornal espanhol "Marca" chega mesmo a dizer que Cristiano é o rei de Madrid (em receita) e o rei do Mundo (nas redes sociais).

Analisando outros números, para se ter uma ideia mais exacta deste fenómeno de Ronaldo nas redes socais, na última temporada, o internacional português recebeu, com as suas mensagens, mais de 35 milhões de visitas e 2,5 milhões de "likes". Outro número impressionante foi o obtido com a foto com o seu filho, que atingiu a marca dos 5 milhões de "likes", feito nunca antes alcançado por nenhum desportista do Mundo.

Publicidade

A informação é da revista "Forbes", que classifica o português como "o número 1 das redes sociais".

As dúvidas quanto ao melhor futebolista do planeta vão permanecer, ao contrário do que acontece quando se fala do desportista com mais impacto no Mundo. Cristiano Ronaldo, com o passar dos anos, consegue ser cada vez mais mediático e aumenta também a receita com a sua imagem, feito só alcançado por David Beckham que nunca perdeu o seu mediatismo, mesmo depois de abandonar os relvados.