Costuma dizer-se que o Verão é tempo calmo em termos de edições discográficas, a chamada silly season, e essa é uma realidade inegável. No entanto, e a exemplo do que aconteceu com o mês passado, a qualidade, essa, não vacilou. De todos os espectros da #Música pesada surgiram álbuns de classe superior, o que dificultou em muito a escolha para este mês, ficando de fora excelentes trabalhos. Ainda assim fica aqui com uma excelente lista de recomendações para os fãs de metal.

Começamos pelo grande regresso dos Helloween, que com “My God Given Right” continuam  a manter a boa forma dos últimos anos e a fazer jus ao seu estatuto de lendas vivas do power metal.

Publicidade
Publicidade

Dentro da mesma vertente, temos “The End Of Time”, dos nossos irmãos brasileiros Hevilan. Para um álbum de estreia, este é um trabalho que exibe a classe de uns veteranos, sem dúvida uma banda a acompanhar de futuro.

Por sonoridades mais experimentais, progressivas e psicadélicas temos “Refugeeum” dos Black Space Riders. O quarto álbum da banda surge com uma qualidade surpreendente para quem não os conhecia. Desconhecidos serão os Ecstatic Vision que com a sua estreia “Sonic Praise” provam que algo de útil poderá surgir com as modas. A Relapse Records de olho atento agarrou esta banda que tem muito do melhor rock psicadélico que era feito há quarenta anos. Quem iniciou também a carreira foram os Deadspace, com “The Promise Of Oblivion”, uma promissora obra de black metal depressivo, cujo maior defeito é a sua curta duração.

Publicidade

No que diz respeito a lançamentos mais extremos surgem os Corpse Garden, da Costa Rica, com “Entheogen”, uma bomba de death metal técnico que fará com que o seu nome seja tomado em conta no futuro. E por bomba de death metal técnico, o que dizer do segundo trabalho dos Rivers Of Nihil, “Monarchy”? Catchy, técnico mas mesmo assim brutal e cativante. Um dos casos em que uma banda confirma ao segundo álbum tudo aquilo que prometeu no primeiro. 

Nas sonoridades tradicionais, o thrash/power metal dos brasileiros Hibria surpreende  com um quinto álbum auto-intitulado e que resume o melhor que há a apresentar no espectro onde se movem. Sem dúvida um dos grandes nomes do estilo no Brasil e que já merecia mais exposição. “From Beyond” é o quarto álbum dos Enforcer, que são uma das bandas de heavy/speed metal mais apreciadas no underground nacional. Se a cada álbum da banda lançado até agora viu a mesma a sofrer uma evolução qualitativa, este “From Beyond” não é uma excepção. Heavy metal de qualidade impressionante.

Publicidade

Para o final ficam dois álbuns que são os que mais se destacaram neste mês de Julho. Em primeiro lugar o regresso dos Cattle Decapitation com “The Anthropocene Extinction”, banda que mistura death metal brutal com grindcore e cujo prato forte são as suas letras e ideologia vegan, com imagens violentas contra o ser humano enquanto responsável pelo sofrimento animal. Surpreendentemente viciante, este é um álbum que dificilmente vai sair do leitor depois de entrar.

O melhor álbum do mês é mesmo “Blessed & Possessed” dos alemães Powerwolf, a mostrar que o heavy/power metal, mesmo quando segue às riscas os seus lugares comuns, arrisca-se a ser genial, principalmente quando produz músicas, verdadeiras músicas, de qualidade como é o caso aqui.  Nada mais indicado como o grande destaque da música pesada deste mês, um mês riquíssimo em boa música, do que um álbum de heavy metal. Obrigatório. Abaixo fica o vídeo para um dos singles retirados deste trabalho.