Como vimos, em 1973, os Pink Floyd assumiram-se como uma das grandes bandas de rock do mundo, assim como os Queen, que estavam a dar os seus primeiros passos. Os anos setenta estavam ao rubro e o rock clássico rico em talento. Com novos nomes a surgirem constantemente e as barreiras pré-estabelecidas a serem deitadas abaixo, 1974 não foi excepção. Progressivo, experimental, pesado, mais um ano inesquecível para a #Música.

10 - Aerosmith“Get Your Wings” – Segundo álbum dos Aerosmith, que começavam a dar nas vistas com o seu hard rock cheio de sensibilidade blues.

9 – Genesis “Lamb Lies Down On Broadway” – Como superar um álbum como “Selling Englad By The Pound”? Com um álbum conceptual duplo que elevou a prestação ao vivo da banda a novos níveis e que também foi o início do fim de Peter Gabriel na banda.

Publicidade
Publicidade

8 – Supertramp“Crime Of The Century” – o álbum que fez com que os Supertramp explodissem comercialmente. “School” e “Dreamer” não só hinos da banda, mas também do art rock.

7 - Blue Öyster Cult “Secret Treaties”Nem só de Black Sabbath, Deep Purple e Led Zeppelin dependem as raízes do heavy metal e do hard rock. O terceiro álbum dos Blue Öyster Cult é um clássico do hard’n’heavy. “Astronomy” é um clássico intemporal e “Career Of Evil” tem letras da lendária Patti Smith, que colaborou com a banda em diversas ocasiões.

6 – Queen“II” – Um ano depois, o segundo álbum dos Queen que os revela com algumas das imagens de marca que ficariam sempre associadas à banda. Embora seja provavelmente o álbum mais subestimado da banda, tornou-se ao longo dos anos um trabalho de culto. “Nevermore” é um dos seus grandes destaques.

Publicidade

5 - Frank Zappa“Apostrophe (')” – O maior êxito comercial do mestre Zappa, a par com “Over-Nite Sensation” lançado no anterior, mostram o influente músico a juntar o seu humor característico e desconcertante com músicas mais directas e cativantes.

4 - Yes“Relayer” – Já não é de admirar a presença dos Yes nestes tops. O seu trabalho é sem dúvida lendário e “Relayer”, já o sétimo álbum, sem Rick Wakeman. Composto por três longas faixas, esta é mais uma viagem que todos os fãs de rock progressivo já fizeram, obrigatoriamente, pelo menos uma vez na vida.

 3 - The Rolling Stones“It's Only Rock'n'Roll” – o primeiro trabalho a ser produzido por Mick Jagger e Keith Richards e o último a contar com o guitarrista Mick Taylor. O regresso da banda ao rock mais assumido quando atingia dez anos desde o lançamento do primeiro álbum.

2 - Queen“Sheer Heart Attack” – Lançado apenas meses após o segundo álbum, é aqui que os Queen têm uma viragem no seu som. Adoptando uma sensibilidade pop que antes não possuíam, foi com este álbum que a banda conseguiu o reconhecimento comercial que tanto procurava.

Publicidade

Criativamente é um álbum riquíssimo e variado, indo do proto-heavy/thrash metal (aquela “Stone Cold Crazy” é histórica) até ao pop mais sensível, sem esquecer o lado progressivo.

1 - Deep Purple“Burn” – O início da histórica MK III. Com a entrada de David Coverdale e Glenn Hughes, a banda viria a ganhar contornos mais soul e funk, mas é no hard rock que “Burn” triunfa, sendo o tema título um clássico intemporal e “Mistreated” uma das power ballads mais clássicas que pode haver.