Por muito que os Portugueses queiram sair da crise na qual se encontra o País, o poder do voto não é suficiente. Os valores da abstenção mostram o descrédito que os Portugueses têm no sistema político. Os votantes, ainda com uma mentalidade “sonhadora”, acreditam em melhoria, ou então votam como sendo uma obrigatoriedade. O resultado é o que está a vista: um resultado pouco esclarecido onde o voto se tornou uma formalidade legal sem qualquer valor.

Nenhum dos partidos políticos ou coligações obtiveram a maioria absoluta, pelo que a governação se torna muito difícil ou mesmo impossível. Cavaco Silva recomendou um acordo entre partidos para uma governação com maioria absoluta na assembleia.

Publicidade
Publicidade

O resultado eleitoral coloca o PS no centro das atenções, sendo o único partido que pode formar #Governo de maioria absoluta. Por um lado, a união com a coligação já existente PSD/CDS, formando um governo com os três principais partidos, o que representaria uma governação sem oposição significativa. Por outro lado, o PS pode optar por juntar-se aos partidos de esquerda, virando totalmente o sentido de governação dos últimos anos.

Seja qual for a decisão, o voto dos portugueses não foi decisivo, sendo que a decisão centra-se nos partidos políticos, sendo neste caso especifico que será o PS a decidir qual o rumo governamental do País. 

Todos os esforços estão sendo feitos no sentido da formação de um novo governo, evitando o regresso às urnas e a colocação da decisão novamente na mão dos eleitores.

Publicidade

Por muito que os portugueses queiram a mudança, os esforços políticos não valorizam a opinião da população em geral.

Os portugueses decidiram, os resultados demonstram a insatisfação, pedindo deste modo a mudança; não só a mudança de governo, mas também todo o sistema político. A decisão do PS, pela voz de #António Costa, deve provocar uma diferença significativa no governo e na forma de governar. A viragem da governação à esquerda, independentemente de todos os prós e contras que essa decisão provocaria, seria um sinal de insatisfação também por parte do PS, mostrando que está disposto a tudo para a melhoria de Portugal.