Se 1974 viu os Deep Purple a voltar ao centro das atenções, com alinhamento renovado e um álbum fortíssimo, 1975 era a vez do regresso de outros gigantes do rock pesado, os Led Zeppelin, Pink Floyd e Black Sabbath. No entanto, existem outras bandas em franca ascensão, que marcaram para sempre a história do rock pesado. Rock, art rock, hard rock, proto-heavy metal, rock progressivo, 1975 é um ano generoso para os fãs de #Música rock. Fiquemos com dez dos seus grandes destaques.

10 – UFO“Force It” – Com o enorme sucesso  de “Phenomenon” às costas, a banda não dava indicações de querer abrandar. “Force It” foi o primeiro álbum e entrar nos tops norte-americanos e a consolidar a reputação da banda de Michael Schenker um pouco por todo o mundo.

Publicidade
Publicidade

9 – Ted  Nugent“Ted Nugent” – Outro guitarrista, outro caso de sucesso. A estreia a solo de Ted Nugent é um bom exemplo de hard rock sulista que muitas vezes beirava o heavy metal. Antes de todas as suas polémicas, este é um bom exemplo de como o hard rock é intemporal.

8 - Aerosmith - "Toys In The Attic" – O álbum mais sucedido da banda nos Estados Unidos em toda a sua carreira é também um clássico exemplo do bom hard rock norte-americano. Considerado com um cruzamento entre os Led Zeppelin e The Rolling Stones, é um bom exemplo de como os alunos aprenderam com os mestres.

7 – Alice Cooper"Welcome To My Nightmare" – O álbum que mudou a carreira de Alice Cooper. Primeiro álbum a solo, já que nos anteriores havia uma banda por trás do vocalista, foi algo arrasado pela crítica. É por isso um dos exemplos de como nem sempre a genialidade é reconhecida no momento em que surge.

Publicidade

6 – Rush"Caress Of Steel" – Segundo álbum da banda canadiana em 1975 e o segundo passo para que fosse instituído oficialmente o hard rock progressivo. Composições longas, virtuosismo por cada um dos três músicos e cinco músicas intemporais.

5 - Black Sabbath"Sabotage" – A inspiração para este álbum surgiu pelo facto da banda ter descoberto que o seu antigo management os estava a roubar. A acusar o cansaço do mundo do espectáculo, ainda assim, conseguiram um álbum fortíssimo combinando temas pesadões como “Hole In The Sky” e “Symptom Of The Universe” com outros mais experimentais como “Supertzar” e “Am I Going Insane (Radio).

4 - Rush"Fly By Night" – Primeiro álbum dos Rush em 1975 e aquele que marca uma viragem de som em relação ao de estreia, lançado no ano anterior, que se focava mais no hard rock. Aqui foram abertas as portas ao progressivo com resultados que são citados como influências por músicos dos mais variados quadrantes. Também é o primeiro álbum com Neal Peart, o baterista emblemático da banda.

Publicidade

3 - Led Zeppelin - "Physical Graffiti" – Um dos maiores sucessos da banda britânica, um álbum duplo, diverso, com alguns dos melhores temas alguma vez registados pela banda. “In The Light” e “Kashmir” são apenas dois exemplos.

2 - Pink Floyd - "Wish You Were Here" – Depois do mega sucesso de “The Dark Side Of The Moon”, os Floyd voltam com um álbum que põe ainda mais o nu o seu lado crítico da sociedade e do mundo do espectáculo. Composto por cinco partes é outro dos grandes destaques da discografia da maior banda de rock progressivo do mundo.

1 – Queen“A Night At The Opera” – Um álbum à frente do seu tempo e o materializar do génio dos Queen, que até então ainda não estava totalmente confirmado perante o mundo. Desafiando as capacidades técnicas da altura e o álbum mais caro de sempre no momento em que foi lançado, estes são apenas alguns dos detalhes mas o que impressiona mesmo é a sua música, imortal. Quem nunca ouviu “Bohemian Rhapsody” e “Love Of My Life” não pode ser certamente deste mundo.