Os desejos são algo muito pessoal e que temos mesmo de "desejar" com muita força se realizarem. A tradição obriga que às doze badaladas se comam as passas e se formulem 12 desejos. Mas o que acabamos por pedir é sempre o mesmo; essa é a rotina de todos os anos. Se não fosse pela rotina procurávamos coisas para nós e a seguir faríamos outra coisa que seria óptima, que nos podia ajudar muito individualmente: iamos trabalhar para concretizar esses desejos.

Mas como fazemos desejos muito vagos, esquecemo-nos dias depois; e o ano passa, e no final do ano voltamos a pedir as mesmas coisas, porque não trabalhámos para aquele desejo porque não era um desejo nosso.

Publicidade
Publicidade

Paz, tranquilidade, amor, sorte, dinheiro: sem muito pensarmos, são estas as palavras que definem aquilo que mais queremos sempre que um novo ano se inicia. Mas serão mesmo estes desejos?Isso todos nós queremos, mas é muito vago. O que eu preciso melhorar na minha vida? O que me pode acrescentar na minha vida ?

Contra as ilusões

Se perguntarmos se os desejos pedidos se concretizam e o que é preciso fazer para que se realizem, as respostas são variadas e podem ir desde "se houver muita força de vontade", "Se Deus quiser vão realizar-se", "se desejarmos muito, sim vão"...

Mas não, os desejos desta forma não se realizam por duas razões:

Porque não se trabalha corretamente a ideia de um desejo. Um desejo não é uma coisa vaga, não pode ser uma coisa que todos querem, tem de ser um projeto pessoal e tem de ser necessariamente uma necessidade, uma vontade grande própria; senão perde-se a energia e a vontade de o realizar.

Publicidade

Outra razão é o facto de muita gente colocar nas mãos de Deus todos os desejos que tem para si, mas Deus dá-nos o livre arbítrio; Ele fica feliz por nós quando as coisas correm bem mas não as faz por nós. Deus não nos faz bem nem mal, deixa-nos viver e dá-nos liberdade, mas nós é que temos de fazer com que as coisas aconteçam.

Como devemos viver a passagem do ano?

  • Divertidos, e a festejar o virar do ano.

Mas antes de ir para a festa fique só consigo e pense o que foi para si este ano que passou, o que gostou e o que não gostou e o que gostava mesmo e o que podia fazer para começar a trabalhar nisso. Se o fizermos, vamos chegar a 31 de Dezembro de 2016 mais felizes e mais realizados porque construímos mais sorte para nós.

99% da sorte somos nós que a fazemos, dá muito trabalho sim mas também dá muito gozo depois colher os frutos daquilo que fizemos por nós próprios e pelos outros.

Sejam felizes em 2016. #AnoNovo2016