Um individuo do sexo masculino apresentou uma queixa-crime na Esquadra de Mem Martins, concelho de Sintra, contra seis polícias supostamente do piquete da Divisão da PSP do mesmo município. Deve mesmo estar na moda apresentar queixas contra polícias. Segundo o queixoso, após ter saído de casa de um amigo, ao aproximar-se do prédio onde reside, apercebeu-se da presença de seis polícias apeados.

Quatro desses polícias terão abordado o ofendido, e um deles terá questionado “o porquê” de este não ir a correr. E afirmou que, como não respondeu, eles começaram a agredi-lo com os bastões na cabeça, na perna direita e na zona lombar.

Publicidade
Publicidade

Mas será que alguém acredita mesmo, que um agente policial agride alguém por dá cá aquela palha , ou porque simplesmente lhe apetece?? Com toda a certeza que deve existir algo mais nesta história...

A suposta vítima terá posteriormente recorrido ao serviço de urgências do Hospital de Cascais, afirmando ter sido vitima de "agressão", tendo recebido tratamento médico. Pelo que parece, a Inspecção Geral da Administração Interna já estará a investigar as alegadas agressões dos agentes policiais ao referido homem. A mesma ocorrência estará também a ser investigada pela Procuradoria-Geral da República, pelo que se pode ler na comunicação social.

É de facto estranho que polícias usem logo o bastão sobre um cidadão só porque o mesmo não tenha respondido, até porque o uso da força é normalmente utilizado em último recurso, e quando todas as outras formas de resolução de conflitos falharam!!

Mais estranho ainda, que polícias perguntem às pessoas porque não vão a correr...o que lhes importa a eles que as pessoas andem devagar ou a correr? A mim, parece-me é que, na verdade, há muito mais nesta história do que parece! Nenhum #Polícia chegava ao pé de mim e me daria com o bastão só porque não respondia a uma pergunta...

Publicidade

Sinceramente espero que realmente sejam feitas todas as diligências no sentido do esclarecimento dos factos, de forma clara, objectiva e definitiva.