O FC Porto conseguiu o mais precioso no futebol, a vitória, mas José Peseiro ainda tem muito trabalho pela frente para conseguir pôr esta equipa nos eixos. Mas esperar muito melhor, quando o FC Porto, em menos de 1 mês, teve 3 treinadores e esteve 1 ano e meio com as mesmas ideias, é difícil. Peseiro fez o seu trabalho, levou o FC Porto à vitória e apesar do resultado ter sido pouco expressivo e o futebol pouco "bonito", como Peseiro quer colocar a equipa a jogar, há curiosidades que devem ser destacadas. Um dos melhores treinadores do FC Porto e do mundo teve uma estreia parecida e seguiu-se o que todos sabem.

José Mourinho foi o "irmão" de José Peseiro na sua estreia, pelo menos.

Publicidade
Publicidade

Estreou-se também em casa, na altura no estádio das Antas e frente ao Marítimo. Na altura ganhou por 2-1, e o primeiro golo do FC Porto de José Mourinho foi marcado pelo... guarda-redes adversário. Ou seja, em ambas as estreias, o FC Porto ganhou pela margem mínima, marcou o primeiro golo graças a um auto-golo do guarda-redes adversário, jogou em casa e teve como adversário o Marítimo.

Mas Julen Lopetegui também se estreou frente ao Marítimo tendo ganho por 2-0. Porém, há ainda que acrescentar que Mourinho entrou também a meio da época e jogou poucos dias depois do FC Porto de Peseiro, há mais de 10 anos. Seguiu-se uma Liga dos Campeões, uma Liga Europa e dois campeonatos nacionais, foram os dois anos mais produtivos e mais maravilhosos da história do Dragão. Mas não são os únicos anos; recorde-se que a primeira Liga dos Campeões conquistada pelo FC Porto, foi em 1987.

Publicidade

E foi nesse ano que o FC Porto viveu o momento mais monumental da sua história, na final da Champions desse ano o FC Porto ganhou ao Bayern de Munique por 2-1, num jogo marcado pelo famoso golo de calcanhar do argelino Madjer.

Peseiro alterou o onze? Não! Mas, o sistema foi ligeiramente alterado, viu-se um futebol mais rápido e ofensivo e uma tática mais próxima do 4-2-3-1 do que do habitual 4-3-3 de Lopetegui. Foram falhados muitos passes, Herrera foi dos que mais falhou e na defesa foram cometidos alguns erros, mas sentiram-se algumas coisas positivas. Peseiro teve, ao menos, a honestidade de assumir que a equipa não jogou muito bem mas ganhou, que era o mais importante.

Viram-se coisas positivas e negativas, mas tem que se dar o "desconto" a José Peseiro que ainda fez muitos poucos treinos e que veio para uma equipa que durante 1 ano e meio foi sujeita a um estilo de jogo muito diferente do estilo de Peseiro, mais ofensivo, ao contrário do que beneficiava a posse de bola, apoiado por Lopetegui.

Publicidade

Os adeptos não ficaram convencidos com as ideias de jogo de Lopetegui, nem mesmo o próprio presidente do clube, Pinto da Costa. Pediu-se um futebol mais ofensivo e vertical, e é isso que Peseiro quer empreender no FC Porto.

Apesar de não reunir muito consenso entre os adeptos portistas, tem um trunfo, o facto de ser um promotor do futebol bonito e ofensivo. Com o tempo, poderemos ver um FC Porto muito mais forte e mais ameaçador. Esta equipa não está assim tão cansada e certo que se vai levantar para levar a luta ao título para um patamar ainda mais elevado e intenso. Aguarda-nos um campeonato equilibradíssimo, em que o vencedor só será mesmo descoberto nas últimas jornadas. E vão ser três os candidatos com hipóteses de almejar o título de campeão nacional. #F.C.Porto