Em Macieira da Maia, Vila do Conde, passaram-se quase 24 horas sempre a jogar futsal para auxiliar o agente da PSP Pedro Reina. Participaram nesse evento de solidariedade 18 equipas masculinas e três femininas. Elementos da PSP, da GNR e de várias corporações de bombeiros juntaram-se à iniciativa solidária das Forças de Segurança Unidas.

Entre os participantes desta iniciativa, que começou na sexta-feira passada (dia 12 de fevereiro) e se prolongou até à noite de domingo, estiveram agentes de várias esquadras da PSP de norte a sul do país, incluindo das instalações do Bairro Alto (onde terão ocorrido as agressões).

Pedro Reina foi condenado a pagar 2500 euros de indemnização e a Inspecção-Geral da Administração Interna mandou-o para casa, retirando-lhe todos os rendimentos mas, felizmente para ele, os seus colegas uniram-se para o ajudar.

Publicidade
Publicidade

Agora é ele, mas amanhã poderá ser qualquer um dos seus camaradas a precisar de ajuda, e com toda a certeza ele também dirá presente!

O Tribunal Central de Lisboa deu como provado que Pedro Reina terá agredido um jovem de 26 anos na esquadra do Bairro Alto, Lisboa, em Novembro de 2009, pelo que o condenou a dois anos de pena suspensa.

Bruno Brini, das Forças de Segurança Unidas, que tem promovido várias acções solidárias para apoiar pessoas em dificuldades (entre os quais elementos das Forças de Segurança), referiu: "Consideramos que foi uma injustiça e decidimos ajudar o nosso colega".

Pedro Reina tem agora 32 anos, é agente da PSP de Matosinhos e foi suspenso de funções por sete meses, até ao final de Junho deste ano. Segundo o próprio, já não existe mais recurso possível na justiça, e portanto agora resta-lhe apenas a solidariedade dos seus companheiros, familiares e amigos para conseguir ultrapassar tudo e deixar este infeliz episódio da sua vida para trás.

Publicidade

E na rede social Facebook existe também uma página de apoio a Pedro Reina, que se denomina "Todos Unidos Por Pedro Reina, um agente da PSP" e que visa, como é óbvio, apoiar incondicionalmente esse mesmo agente da PSP. #Causas #Polícia