Foi em Outubro de 2010, que junto a uma pedreira em Reguengo do Fetal, Batalha, ocorreu um furto de lanços de cabos de cobre da PT. José António Pinto era o militar da GNR que nesse dia estava de serviço, e que em último recurso tentou imobilizar a viatura em fuga dos assaltantes, pois já tinham escapado a outra patrulha da GNR e encontravam-se em fuga! De salientar ainda que os assaltantes já tinham registo criminal e até já tinham cumprido penas. Por esse facto, somente parariam se fossem obrigados, pois sabiam que se fossem apanhados seriam detidos.

Para imobilizar a viatura teve necessidade de efectuar dois disparos em direcção aos pneus do carro em que seguiam os dois suspeitos do furto desse mesmo cobre. Mas, acidentalmente, um desses tiros acabou mesmo por atingir mortalmente um dos assaltantes, pelo que em abril de 2013 o militar acabou condenado por homicídio por negligência.

Publicidade
Publicidade

Para todos os efeitos, a pena de cadeia não foi substituível por multa, mas acabou por ficar suspensa por um ano.

Depois de o tribunal ter decretado tal pena, foi a vez da GNR punir disciplinarmente o militar em causa com 7 meses de suspensão (210 dias); durante esse tempo ficará ainda sem 2/3 do seu ordenado, que perfaz aproximadamente o valor de 5.000 euros!! E obviamente que esse facto deixa o militar em dificuldades, visto que a mulher também se encontra com licença de maternidade, pois foram pais de gémeos há pouco tempo, ficando agora com 3 filhos à sua responsabilidade!

Numa tentativa de ajudar este militar da GNR, que acabou por ser castigado disciplinarmente por ter feito o que um agente de autoridade deve fazer (travar os criminosos e combater o crime), foi criada uma página de apoio para esse mesmo efeito, que se denomina "Vamos ajudar o militar da GNR: José António Pinto"!

A  Associação profissional dos Guardas(APG/GNR) iniciou uma "onda de solidariedade" nessa mesma página, com o objectivo de tentarem angariar os 5.000 euros para o ajudarem. Os dados para poderem ajudar o militar da GNR encontram-se na página em questão.

Publicidade

Já que eles nos protegem e defendem com a própria vida se preciso for, também poderemos ajudar um deles, pois por mais pequena que seja a ajuda, será sempre preciosa para aquela família que ainda há pouco tempo ficou maior. #Justiça #Causas #Polícia