Em 2011, Bernie Sanders, o principal adversário de Hillary Clinton na disputa pela nomeação democrata nos Estados Unidos, terá previsto o escândalo que agora aconteceu e que já coloca o primeiro-ministro Islandês na iminência de sair do poder. "Panama Papers" veio agora a público mas este escândalo poderá ter mais histórias para contar. Surgem informações de que um acordo de livre comércio assinado entre Estados Unidos e Panamá em 2011 terá beneficiado a fuga aos impostos pelas pessoas mais ricas e pelas grandes empresas. Enquanto Hillary aprovou esse acordo, Sanders rejeitou-o e discursou no senado (vídeo no final da notícia) avisando as pessoas de que este acordo iria favorecer os mais ricos e poderosos, através da facilitação de fuga fiscal por parte dessas pessoas.

Publicidade
Publicidade

Sanders avisou, o problema é que o acordo foi assinado e agora surge o escândalo que pode jogar a seu favor.

Nesse acordo de livre comércio assinado entre os dois países, estaria estipulado que qualquer fuga aos impostos pelos mais ricos através do Panamá não seria revelada, ou seja, manter-se-ia em sigilo. Todos os americanos que usassem o Panamá para fugir aos impostos conseguiriam escapar da justiça e a verdade é que nenhum americano está envolvido no Panama Papers, por enquanto.

Mas como isto pode favorecer Sanders e prejudicar Hillary? É facil: Hillary Clinton aprovou o acordo e foi mesmo uma das suas principais promotoras desse acordo, além disso faz parte da classe mais rica e poderosa dos Estados Unidos, tornando mais fácil perceber o seu possível envolvimento.

Publicidade

Mas este não é o primeiro caso em que Hillary tenta beneficiar-se através de matérias ilegais e reprovadas pelo público em geral, recebe doações da indústria de combustíveis fósseis e em tempos apoiou medidas que prejudicam o ambiente, tudo por interesses económicos.

Sanders avisou as pessoas mas elas não ouviram; agora, pode mesmo ser ele o mais beneficiado deste caso. Se Hillary vier a ser investigada em relação ao "Panama Papers", então poderemos assistir a uma vitória de Sanders no futuro. Este caso deve, ao menos, provocar alguma dúvida nos votantes em Hillary, e se ela for envolvida no caso a sua campanha pode acabar.

As #Eleições Americanas entram numa fase decisiva e Sanders puxa pela vitória com anúncios muito importantes nos estados de Wisconsin e Nova Iorque, o primeiro deles ainda esta terça-feira. No Wisconsin usou o actor Mark Ruffalo, nascido nesse estado, num anúncio com o objetivo de ganhar o máximo de votos lá para conseguir prolongar o momento até à primária em Nova Iorque, o segundo estado mais importante.

Publicidade

Em Nova Iorque lançou um anúncio de 30 segundos que tem como protagonista Erica Garner, filha de Eric Garner, que foi morto por um polícia branco à algum tempo.

Estes dois anúncios, além das polémicas no setor mais poderoso e rico da sociedade, poderão ajudar Sanders a diminuir a vantagem em relação a Hillary. A contagem está em 1266 delegados para Hillary e 1038 delegados para Sanders, sem contar com os superdelegados que poderão ainda mudar a sua posição até à convenção democrata em Julho.

A próxima primária é aberta, todos podem votar, e disputa-se no Wisconsin, sábado segue-se para o Wyoming e depois dia 19 a corrida segue para Nova Iorque. Nos dois primeiros são esperadas vitórias confortáveis de Sanders mas em Nova Iorque a corrida promete ser disputada com Hillary em vantagem, já que representa aquele estado, e as minorias, que têm favorecido Hillary, são significantes, ao contrário dos outros dois estados a votos.

#Política Internacional #EUA