Foi com grande mérito que SL Benfica se tornou ontem, dia 15 de Maio de 2016, tricampeão nacional de #Futebol após receber e derrotar no Estádio da Luz o Nacional por 4-1, num jogo em que as águias dominaram e foram bastante superiores ao adversário. Um título merecido, que vem após uma longa e intensa batalha entre dois principais rivais da capital portuguesa, como já não se via há bastante tempo.

Afinal tudo já estava decidido há bastante tempo. Não foi aos 23 minutos, quando Nico Gaitán inaugurou o marcador numa jogada de insistência no Estádio da Luz frente ao Nacional; nem aos 39 minutos, quando Jonas aumentou a vantagem para 2-0, muito menos aos 64 minutos com o segundo golo de Gaitán ou aos 84 minutos com o golo de Pizi após o cruzamento de Jonas, mas sim há pelo menos 70 dias quando Mitroglou, em pleno Estádio de Alvalade, aos 20 minutos do jogo, marcou o único golo da partida num jogo em que tudo parecia fácil para os leões, que perderam depois de desperdiçarem várias oportunidades de golo.

Publicidade
Publicidade

Não foi no clássico com o FC Porto e nem no último jogo da Liga, disputado ontem frente ao Sp. Braga que se conseguiu travar o Sporting na perseguição ao líder Benfica e nem de o impedir de lutar até ao ultimo minuto pelo título de campeão nacional de futebol. Será mesmo justo dizer que estes dois jogos, que aparentavam ser os mais difíceis para as aspirações do #Sporting, foram na verdade os que se tornaram mais fáceis devido à grande qualidade de jogo apresentado pelos leões no campo. Infelizmente para os leões, os águias não ficaram atrás. Encontrava-se do outro lado, na Luz, um adversário atrevido e determinado, cauteloso e prudente, que lutou e deu luta, não afrouxou e nem estremeceu, que não vacilou e gloriosamente ultrapassou qualquer obstáculo.

Na Luz residia um adversário que, após sua saída da Liga dos Campeões, apostou e assegurou a sua liderança com unhas e dentes contra qualquer adversidade.

Publicidade

Um #Benfica que para os benfiquistas é dos benfiquistas, é de todos jogadores, do Rui Vitória e de todos que fizeram parte da estrutura.