O ambiente onde crescemos, a educação que nos é dada, o que vemos, sentimos e experienciamos molda-nos. Ou seja, parte dos instintos, ensinamentos e perspectivas que fazem parte do nosso dia-a-dia são consequência de uma sociedade que nos obriga a ser de determinada maneira, a olhar para o que nos rodeia com determinadas perspectivas e muitas delas até ridículas e que inclusive mexem de uma maneira negativa com o nosso interior... Isso leva a que grande parte das pessoas deixe de amar, de ter, ser e sentir amor.

Esse molde que é fabricado pelo sistema em que vivemos é o que leva as pessoas a não lutarem pelos seus direitos e pela sustentação da nossa casa chamada de Planeta Terra.

Publicidade
Publicidade

Esse molde é o que permite e dá azo a que todo o mal existente exista de facto. 

Sem medos, com coragem, seguros de nós mesmos, porque nós sabemos o que queremos! 

Não se trata de esperança mas sim de fé! E esse foi o motivo de Jesus dizer que felizes são os que crêem sem verem. Quando cremos que já possuímos, que já faz parte de nós, o universo conspira para que tal aconteça, daí a termos que ter cuidado com o que desejamos. Deseja o bem e o bem receberás! É como semear uma semente. Semeia e deixa-a crescer, não podes esperar que passados poucos dias já tenhas a flor florescida na sua totalidade.  Tem fé e deixa o coração guiar-te, viverás assim os teus sonhos.                                                

Pede um desejo, porque tu podes pedi-lo! 

  • Torna-o parte de ti
  • Explora a emoção que sentes
  • Inevitavelmente, o teu desejo será realizado

Agarrar oportunidades é também um acto de sabedoria, assim como querer aprender o é.

Publicidade

Enfrentar, ultrapassar e conquistar são as garras que emergem das profundezas do nosso interior, que nos fortalecem e nos seguram, mantendo-nos em plenitude e num estado absoluto de controlo.

Por vezes pensamos tanto na situação que pensamentos de não sermos suficientemente bons surgem, fazendo-nos questionar se realmente conseguimos, se temos o que é preciso...

Como saberemos se não nos damos sequer a oportunidade a tal? Alimentar a nossa curiosidade e dar vida à nossa alma, com novas experiências, momentos e aprendizagens é ou não mais interessante do que alimentar o medo? Que se torna o grande ilusionista, capaz de nos entorpecer os sentidos, impedindo-nos de agir, de expressar, de tomar uma atitude favorável em relação ao acontecimento em causa.

Não é bom sentir sentimentos e emoções diferentes às que estamos acostumados? Sair da nossa zona de conforto e viver algo que nos é novo? Explorar o desconhecido e expandir a nossa visão, olhando para o que nos envolve com novas e diferentes perspectivas, que consequentemente nos envolvem nos seus estímulos e amplificam as nossas vibrações, elevando-nos a frequências alternadas, diferentes. O desconhecido... #Curiosidades #Vida Saudável