António Broa, de 42 anos de idade, era casado, pai de duas raparigas e residia em Ferreira do Alentejo. Era agente da PSP, no Comando Distrital de Beja. Tinha estado de serviço na Esquadra de Beja até às 7.00 horas. Pelas 20.15 horas, em casa da própria mãe, informou-a que iria descansar, mas no entanto, deitou-se na cama com a pistola de serviço e deu um tiro na sua própria cabeça.

Tudo indica que tal acto poderá mesmo ter sido premeditado, visto que teve o cuidado de deixar todo o seu material da PSP arrumado em sacos: armas, carregadores, cinto, algemas, bastão, botas e fardas de trabalho. A sua farda principal estava pendurada num cabide na porta do guarda-fato.

Publicidade
Publicidade

Ainda não são conhecidas as verdadeiras razões que terão levado mais um agente da PSP a colocar termo à própria vida.

Segundo a edição online do Jornal de Notícias, no local estiveram alguns militares do Núcleo de Investigação Criminal da GNR, 3 operacionais dos Bombeiros de Ferreira do Alentejo e o apoio de duas viaturas. Posteriormente, o corpo foi removido e levado para o Gabinete Médico-Legal do Hospital de Beja, onde mais tarde será autopsiado.

Foi há tempos efectuado um estudo pela subcomissária Sílvia Caçador, que determinou que o suicídio é a principal causa de morte não natural entre os agentes da #Polícia de Segurança Pública. Segundo a autora desse mesmo estudo, o problema pode estar e estará certamente relacionado "com uma falta de acompanhamento psicoafectivo e com as dificuldades em lidar com os problemas diários da profissão".

Publicidade

Só o ano passado foram registados oito suicídios na PSP. Em 2011, foram sete os agentes que igualmente colocaram termo à vida. Já na GNR, e segundo dados do Ministério da Administração Interna, foram 11 os suicídios ocorridos em 2008 e em 2009 aconteceram oito casos. Já no ano passado registaram-se sete suicídios.

Até quando esta onda de suicídios continuará? Façam alguma coisa para diminuir ou mesmo acabar com os suicídios nas Forças de Segurança! Eles são seres humanos e não pura e simplesmente números, olhem para eles como pessoas e não como máquinas!!