Na manhã desta quarta-feira (7 de setembro), em plena Avenida Almada Negreiros, na Moita, um agente da #Polícia de Segurança Pública (PSP) foi barbaramente agredido. A agressão aconteceu no momento em que agentes da PSP davam cumprimento a uma notificação judicial. O agente em questão foi agredido à machadada e supostamente também com uma faca pelo indivíduo visado na notificação judicial.

Quando os dois elementos da PSP que normalmente são responsáveis por efectuar as notificações viram o indivíduo suspeito, imediatamente o abordaram para o identificar. Mas, sem que nada fizesse prever, já que os polícias apenas o queriam identificar, o indivíduo em questão subitamente tornou-se agressivo e agrediu um dos agentes da PSP com um machado e uma faca.

Publicidade
Publicidade

Enquanto o agente estava a ser agredido de forma violenta, recorreu ao uso da arma para se defender e, em legítima defesa, acabou por atingir mortalmente o seu agressor. Era a vida do agente que estava em risco e o valor da vida é igual para todos.

A própria comissária da PSP de Setúbal terá afirmado posteriormente que o agente agredido foi obrigado a disparar em legítima defesa. E é óbvio que o fez para se defender, pois caso não o tivesse feito teria sido assassinado.

O agente da PSP sofreu vários ferimentos no peito e perto do pescoço, pelo que foi de imediato transportado ao Hospital do Barreiro, onde foi observado e permaneceu internado em estado grave, não se sabendo ainda a real gravidade dos ferimentos.

Um segundo agente ficou também com alguns ferimentos, pelo que precisou igualmente de tratamento hospitalar, mas, por não inspirar grandes cuidados, já teve alta hospitalar.

Publicidade

Terá tido apenas um corte ligeiro no braço.

Estão agora ser averiguadas todas as circunstâncias do sucedido, para que tudo seja investigado de forma clara, correcta e precisa.

A Polícia Judiciária também já esteve no local da agressão e já ouviu o agente da PSP que teve alta hospitalar. O agente em questão encontra-se muito abatido com tudo o que aconteceu.

Foram accionados 39 operacionais e dez veículos da PSP, da GNR, dos bombeiros da Moita e dos bombeiros Sul e Sueste do Barreiro para estarem presentes no local e prestarem auxílio. #Crime #Violência