O filme conta-nos a história de Jason (Zac Efron) que, a poucos dias de se casar com Meredith, é incumbido de levar o avô a uma cidade costeira da Florida. A sua avó tinha falecido recentemente e esta pareceu-lhe a melhor atitude a tomar visto que o seu avô ainda estaria a sofrer com a morte da companheira. Mas o inesperado acontece. Dick (Robert de Niro) está empenhado em encontrar a felicidade após a morte da sua mulher e aproveitar tudo o que a vida ainda tem para lhe oferecer. Desta forma, leva o seu neto para uma onda de divertimento que o próprio abomina no início mas à qual não consegue resistir. Esta aventura faz com que Jason encontre uma ex colega de escola e se apaixone verdadeiramente por ela, o que o deixa numa situação complicada já que o seu casamento está prestes a acontecer e ele não pode deixar um futuro promissor em prol de um futuro que não será garantido.

Publicidade
Publicidade

A minha opinião sobre este filme é um pouco "mista", digamos assim. Em primeiro lugar, não acho que este seja o tipo de papel indicado para um ator como o Robert de Niro. O filme em si é bom mas torna-se fraco quando vemos que não está ao nível do ator. A verdade é que o Robert de Niro nos habituou a filmes de alto nível. É um ator fenomenal e este papel é muito diferente daquilo a que estamos habituados e, sinceramente, não correspondeu às minhas expectativas nesse aspeto.

Por outro lado, e apesar de preferir ver o Zac Efron em #Filmes mais "lamechas" do que propriamente em comédias, ele foi o que mais me prendeu ao filme. Porque o Zac tem a capacidade de conseguir fazer com que pessoas que não gostam de determinado filme passem a gostar só pelas suas personagens. E ao contrário do que aconteceu com a personagem do Robert de Niro, a personagem do Zac Efron estava super bem idealizada e transmitia uma história no meio de um filme que inicialmente não parecia transmitir história alguma.

Publicidade

Ou seja, nesta história, o avô é a personagem usada para nos "empurrar" para a personagem principal. E é nesse sentido que acho que houve uma falha relativamente ao trabalho do Robert. Estou habituada a ver o Robert lá no topo e neste filme senti os meus olhos mais em cima do trabalho do Zac do que dele. E isto não se deve ao ator, mas à personagem interpretada pelo Robert que, apesar de fazer um certo sentido na história, na minha opinião estava um pouco exagerada demais. 

Posto isto, não posso dizer que não gostei do filme. Muito pelo contrário. Achei-o bastante interessante no sentido de nos alertar para algumas realidades que, infelizmente, ainda existem. Acho que serve para nos fazer refletir relativamente a alguns padrões da sociedade e à nossa própria liberdade. Afinal, Jason nunca foi realmente livre até o avô lhe mostrar o que é a liberdade de escolha. Podermos escolher quem queremos para o nosso futuro e o que queremos fazer com a nossa vida. Ainda há muitos jovens que não seguem os seus sonhos para seguir os sonhos dos seus pais, avós, etc, etc...

Publicidade

E, nesse sentido, o filme está fantástico e passa bem a mensagem.  #Entretenimento #Cinema