Pelas 23:30 horas do dia de ontem (15 de outubro), a #Polícia de Segurança Pública (PSP) foi alertada para um assalto num hipermercado no Barreiro. Um carro patrulha foi de imediato enviado ao local, mas a PSP foi de imediato recebida a tiro. O carro patrulha ficou mesmo marcado com marcas de projéctil e os polícias, mais uma vez em legítima defesa, tiveram que recorrer às armas de fogo. Iniciou-se assim um tiroteio entre o grupo de assaltantes e a própria polícia.

Do tiroteio resultou que um dos assaltantes perdeu a vida, outro ficou gravemente ferido e dois agentes da PSP ficaram feridos. Um dos polícias foi baleado numa perna e o outro foi atropelado.

Publicidade
Publicidade

Mais uma vez, dois agentes da PSP são feridos no cumprimento do dever. Quando é que esta profissão vai ser considerada profissão de risco?

Na estrada próxima ao hipermercado encontrava-se um carrinho de compras com dinheiro que provavelmente terá sido roubado, tal como uma das viaturas usadas pelos assaltantes, com marcas de tiros, onde se encontrava o corpo do assaltante morto.

De referir que o grupo de assaltantes seria constituído por 7 elementos, estando actualmente alguns em fuga, pelo que já se encontra em curso mais uma caça ao homem montada pela PSP para a localização e captura dos suspeitos.

Os assaltantes encontravam-se fortemente armados, usavam gorros, luvas e coletes à prova de bala, pelo que se conclui que realmente são mesmo perigosos. A PSP terá mesmo recuperado uma pistola, uma metralhadora e uma “shotgun” abandonadas pelos assaltantes em fuga. O facto de terem recebido a polícia a tiro mostra que eles estarão dispostos a tudo, pelo que será importante que os consigam apanhar em breve, antes que repitam mais assaltos ou matem alguém.

Publicidade

Ainda não existem certezas se o indivíduo que faleceu foi morto por disparos da polícia ou se foi ele mesmo que, ao tentar fugir, acabou por disparar contra si próprio. O assaltante ferido foi posteriormente transportado para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, com ferimentos graves. Durante a madrugada foi sujeito a uma intervenção cirúrgica demorada, tendo sido levado para a Unidade de Cuidados Intensivos após a cirurgia já de manhã. No local permanecem também 4 inspectores da Polícia Judiciária (PJ) para o vigiarem. A própria PJ esteve ainda durante muito tempo no local onde tudo aconteceu para recolher todos os indícios, para que possam ser efectuadas todas as averiguações possíveis, de modo a que tudo fique devidamente esclarecido.

Foi já detido um segundo assaltante, mantendo-se ainda 4 dos assaltantes em fuga.

Muitos polícias que necessitavam de coletes balísticos para trabalharem com mais segurança não o possuem. E estes assaltantes usam-nos para cometerem crimes. Isto dá que pensar!

E, mais uma vez, a polícia é logo recebida a tiro e os assaltantes entram mesmo a matar, uma situação que já se está a repetir demasiadas vezes em Portugal. Começa ser demasiado grave e muito assustador. #Crime