Guimarães, 1 de Outubro de 2016, 18h15 min, jogo entre Vitória de Guimarães e Sporting Clube de Portugal, tudo pronto para se assistir a um excelente jogo de #Futebol entre duas grandes equipas. De um lado, uma equipa agora orientada por Pedro Martins que tem feito bons trabalhos pelos clubes onde tem passado (Marítimo e Rio Ave ), que tem praticado bom futebol, tendo em Marega o seu jogador mais em evidência. Do outro o mestre da táctica, Jorge Jesus, o inconfundível técnico que se mudou dos rivais para o seu clube do coração e que melhorou a olhos vistos todo o futebol de um clube.

O problema é que quem acabou por sobressair foi quem nunca devia aparecer, quem nunca devia sem a figura número um do jogo; falamos, claro, do árbitro Artur Soares Dias.

Publicidade
Publicidade

O jogo começou morno, com ambas as equipas a estudar-se mutuamente, mas a partir dos 15 minutos só deu Sporting. Os jogadores do clube de Alvalade passeavam a sua classe pelo campo e o Guimarães apenas despejava bolas para as costas da sua defesa, talvez tentando aproveitar a velocidade e força de Marega.

Do lado do #Sporting, Gelson Martins abria o livro e ultrapassava os adversários como se fosse faca quente em manteiga. Já tinha oferecido um golo que Adrien não conseguiu enviar para o fundo da baliza, mas o golo não tardaria; Gelson arranca, passa por todos os que lhe apareceram à frente e remata forte. O guarda-redes do Guimarães não consegue agarrar a bola e Marcovic é mais rápido e faz o primeiro.

Cerca de 10 minutos depois, talvez ainda enervado pelo golo concedido, Douglas tem uma saida despropositada e Coates faz o segundo para o Sporting.

Publicidade

Só dava Sporting!!

A segunda parte começava como acabara a primeira, com os jogadores do Sporting a falharem golos, até que aos 69 minutos Elias aproveita mais um erro de Douglas e faz o terceiro.

Quem assistia ao jogo pensou: acabou!!

Mas foi então que surgiu Soares Dias, vindo do nevoeiro e catapultando o Guimarães para algo que não conseguiu durante 70 minutos. 

O lance do penálti, em campo, é de marcar. Nas repetições percebe-se que o William tem lá a perna e é o jogador que vai cavar o penálti. Mas, de bola corrida, aceita-se que a decisão seja o penálti sem nenhum problema.

Depois, o 2.º golo nasce de uma falta claríssima sobre um jogador do Sporting a meio campo. Falta que é uma entrada que até podia dar amarelo e é feita nas barbas do árbitro. Portanto, é um golo irregular e não aconteceria se tem sido marcada a evidente falta.

O 3.º golo nem é falta do Zeegelar, que foi só parvo pois era evidente que o jogador do Vitória ia-se mandar para o chão mal ele chegasse lá… Depois a falta sobre o Schelotto é super evidente e o árbitro está no enquadramento e de frente para o lance, sem ninguém a tapar a visão… Deve ter ficado todo contente de o pai o ver lá de cima a roubar descaradamente o Sporting!

É certo que os jogadores têm de perceber que jogam num clube que é perseguido pelos outros rivais, que dominam a bola há mais de 50 anos, e que precisam de ter mais cuidado, mais atenção e de jogar mais futebol que os outros para ganharem…Foram anjinhos e puseram-se a jeito para serem, mais uma vez, gamados! Mas foram gamados.

Publicidade

Não perderam porque foram anjinhos. Tivessem arbitrado bem e mesmo sendo anjinhos tinham ganho.

E nem é preciso ir buscar o lance sobre a agressão ao Markovic…