No âmbito do combate ao tráfico de armas e de estupefacientes, a #Polícia de Segurança Pública (PSP) realizou mais uma megaoperação policial em vários bairros do concelho de Loures, distrito de Lisboa. A referida operação policial contou com a colaboração da Unidade Especial de Polícia, mais especificamente do Corpo de Intervenção (CI) e do Grupo Operacional Cinotécnico (GOC).

A operação policial em questão acabou por ser o culminar de um longo processo de investigações feitas pela esquadra da investigação criminal de Loures durante um ano, e que se relacionava com a posse ilegal de armas, tendo hoje finalmente sido dado cumprimento aos mandados de busca.

Pelo que se pode ler na edição desta quinta-feira (15 de Dezembro) do Diário de Notícias, as respectivas buscas estiveram relacionadas com um inquérito #Crime que estará a decorrer no tribunal de Lisboa Norte/Loures por posse ilegal de armas.

Publicidade
Publicidade

Os bairros da Quinta da Fonte, da Apelação, Camarate, Loures e até mesmo o concelho de Odivelas foram alvo de várias buscas, que tiveram início aproximadamente pelas 07.00 horas da manhã. Toda a circulação de pessoas e de viaturas foi fiscalizada pelas autoridades. Delimitaram mesmo áreas especificas, onde ninguém entrava ou saía sem ser revistado.

As autoridades, munidas de 32 mandados de buscas, efectuaram as buscas em questão e acabaram por deter mesmo seis pessoas. Além das seis detenções, apreenderam uma caçadeira, um revólver e duas pistolas e duas pressão de ar, uma das quais com mira telescópica. Foi feita ainda a apreensão de produtos suspeitos de serem estupefacientes, em especial haxixe e cocaína.

Grande parte dos elementos do Grupo Operacional Cinotécnico (GOC) envolvidos somente desmobilizou após os cães, que são especialistas em detectar armas e drogas, terem entrado em várias habitações.

Publicidade

Unidade Especial de Polícia

Convém ainda recordar que a Unidade Especial de Polícia (#UEP) é, como refere o próprio site da PSP, uma "unidade especialmente vocacionada para operações de manutenção e restabelecimento da ordem pública, resolução e gestão de incidentes críticos, intervenção táctica em situações de violência concertada e de elevada perigosidade, complexidade e risco, segurança de instalações sensíveis e de grandes eventos, segurança pessoal dos membros dos órgãos de soberania e de altas entidades, inactivação de explosivos e segurança em subsolo e aprontamento e projecção de forças para missões internacionais". Dela fazem parte cinco subunidades:

  • o Corpo de Intervenção (CI);
  • o Grupo de Operações Especiais(GOE);
  • o Corpo de Segurança Pessoal(CSP);
  • o Centro de Inactivação de Explosivos e Segurança em Subsolo(CIEXSS); e
  • o Grupo Operacional Cinotécnico(GOC).