Tal como todos os anos por esta altura, a #Polícia de Segurança Pública (PSP) já deu início à Operação Festas Seguras. Começou na quinta-feira passada (15 de Dezembro) e só terminará a 2 de janeiro de 2017. A PSP vai reforçar o policiamento junto de todas as grandes superfícies e zonas de maior incidência de acidentes, para dessa forma poder prevenir comportamentos ilícitos.

A PSP destacou mais de 10 mil elementos para reforçarem a vigilância e policiarem os pontos mais críticos das cidades. Este reforço policial vai ser realizado nos mesmos moldes do plano implementado quando a Europa viveu o terror dos atentados de Paris, em Novembro do ano passado.

Publicidade
Publicidade

E a ameaça do terrorismo é real e paira no ar em qualquer lugar.

Tal como pudemos ver na edição de ontem (16 de Dezembro) do Jornal de Notícias, equipas do Corpo de Intervenção estarão armadas com metralhadoras e a usar coletes antibala. Serão muito mais visíveis nas ruas nesta época de #Natal e Ano Novo. Essa será certamente a estratégia da PSP para a prevenção da criminalidade que causará maior impacto durante toda a operação Festas Seguras 2016.

O Corpo de Intervenção encontra-se no terreno sempre pronto para situações de confrontos e ameaças em Portugal. É decididamente a força mais musculada da PSP. Estão especialmente treinados e preparados para a manutenção e reposição da ordem pública.

Várias zonas da capital como a Baixa, Belém, Terreiro do Paço e Parque das Nações, bem como o aeroporto, Gare do Oriente, Santa Apolónia, Campo Grande e Sete Rios serão alvo de uma vigilância redobrada pelas autoridades.

Publicidade

Todos estes esforços da PSP são para que todos os portugueses possam passar um Natal e uma passagem de ano em segurança.

Convém salientar que, enquanto uns estão junto dos seus familiares e amigos a comemorarem o nascimento de Jesus ou a chegada de um novo ano, outros (polícias) estarão longe das suas famílias e amigos, a trabalharem nas ruas, nas esquadras, nos hospitais ou onde sua presença for necessária para qualquer eventualidade, para a reposição e/ou manutenção da ordem. #Lisboa