Mário Soares foi internado no hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, ao início desta segunda-feira (12), devido ao "agravamento do seu estado geral", de acordo com o Observador, encontrando-se inconsciente e com prognóstico reservado. Esta notícia, associada à provecta idade de Soares (actualmente com 92 anos), causou uma grande agitação nas redes sociais (e nos snack-bares, o equivalente offline das redes sociais, tal como definiu Ricardo Araújo Pereira), antecipando-se agora o falecimento iminente do antigo primeiro-ministro e presidente da República. Será um pensamento colectivamente mórbido? É novamente Ricardo Araújo Pereira que nos lembra que o Homem é o único animal que sabe que vai morrer.

Publicidade
Publicidade

O século XX nas redes sociais

É fácil encontrar os 3 pontos de vista: a direita que vem com aquele artigo de jornal em que Soares é citado a falar de tubarões, a esquerda que o defende contra tudo e contra todos, ignorando quaisquer críticas, e aqueles que arriscam falar no assunto lembrando que é uma figura marcante do século XX, factualmente e sem tomar partido contra ou a favor. Há até um quarto ponto de vista: aqueles que discordam do terceiro e que dizem que dentro de 50 anos ninguém se lembrará de Soares.

Só não será fácil encontrar a maioria silenciosa, especialmente entre aqueles que têm menos de 30 anos, e que simplesmente não quer saber do assunto.

Falecendo agora ou mais tarde, Soares é assim mais um pretexto para se debater História na internet, o que não deixa de ser interessante.

Publicidade

Já em 2015, a propósito da mudança de governo durante a presente legislatura, as redes sociais julgaram que a realidade física tinha voltado a 1975.

Para o século XXI, há outros temas

Em todo o caso, para os que estão mais interessados no século XXI, talvez seja melhor fecharem a internet ou então seleccionarem o tipo de conteúdos a que poderão aceder, quando o falecimento de Soares ocorrer (seja agora ou em 2030, altura em que Soares terá a mesma idade de Manoel de Oliveira).

Um tema que diz mais respeito ao futuro que ao passado é o da #Automação e da forma como os robots irão eliminar empregos nos próximos anos. No vídeo abaixo pode ver-se um de muitos exemplos, aplicado à construção civil; as máquinas poderão fazer quase tudo.

Um tema urgente para o nosso tempo é saber como é que a sociedade se vai adaptar e se o Rendimento Básico Incondicional será, ou não, a melhor solução para esta questão. Talvez possamos dedicar a mesma energia mental a isto do que à História do século XX. #RBI #Mário Soares