Nesta sexta-feira (27 de janeiro de 2017), aproximadamente pelas 18.55 horas, quatro indivíduos tentaram assaltar a #ourivesaria Sérgio, situada na Rua Casa do Povo, em Corroios, Seixal. Este estabelecimento comercial já tinha sido alvo de outros assaltos, mas desta vez a situação acabou mesmo em tiroteio, do qual resultaram dois feridos: um dos assaltantes, que terá sido sido baleado por um dos donos da ourivesaria, e um dos proprietários do estabelecimento, que foi atingido no nariz com uma coronhada. Rapidamente os populares alertaram a #Polícia de Segurança Pública (PSP) de Corroios, que de imediato mandou uma patrulha ao local. Assim que os polícias chegaram, montaram prontamente um dispositivo de segurança junto à ourivesaria.

Publicidade
Publicidade

Segundo avançado pela TVI24, também os bombeiros e o INEM foram chamados ao local para prestarem auxílio ao baleado e ao ferido, tendo posteriormente feito o transporte dos dois feridos para o Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Ao que parece, o assaltante baleado terá ficado em estado grave, pelo facto de ter uma bala alojada na cabeça, e encontra-se actualmente internado nos cuidados intensivos da unidade hospitalar. Os proprietários da ourivesaria são dois irmãos. Relativamente aos outros 3 assaltantes, continuam em fuga, mas as autoridades já fazem buscas visando a captura dos mesmos.

O outro proprietário da ourivesaria terá sofrido também algumas escoriações, pois foi agredido. A PSP foi informada por populares de que um dos assaltantes estaria armado.

A Polícia Judiciária (PJ) já está no terreno a fazer as suas perícias e investigações para tentar apurar toda a verdade dos factos e responsabilidades.

Publicidade

Aguardam-se então novos desenvolvimentos neste caso, e que os fugitivos sejam também localizados e detidos pelas autoridades.

Esperemos agora que os proprietários não venham ainda a sofrer consequências por terem tentado proteger-se e defender-se de mais um assalto ao seu negócio.

Que todos os assaltantes envolvidos sejam responsabilizados e punidos pelo que fizeram. Quanto ao assaltante baleado, se sobreviver, que responda também perante a lei e que seja devidamente punido.